quarta-feira, 27 de julho de 2016

Brasil não é sério portanto o povo não aguarde medidas eficazes de combate aos crimes

    Não se deve esperar seriedade de um País como o Brasil que não tem caráter de seriedade. As instituições que governam este país não agem como deveriam agir e aparentam que não estão preocupadas com o senso crítico da sociedade. Nem adianta o povo brasileiro dizer que sente esperança porque a falta de seriedade neste país é fator comprometedor.

    O caráter é a natureza que define a conduta, como aqui os homens não são sérios fazem leis ridículas e as leis eficientes eles não aplicam. Enganam o povo com falácias e tocam à vida de qualquer maneira, a prova disso a gente ver dia após dia casos absurdos de violência, corrupção e outros tipos de atitudes repudiáveis; casos que até são inacreditáveis, nada disso vai acabar e nem atenuado, a tendência é aumentar. 

    Este país só poderá ser diferente se gerações futuras passarem uma borracha no passado e criarem novas leis para moralizar e punir infratores de qualquer classe social, classe econômica e classe de qualquer nível de formação.

   Os crimes contra a vida, o tráfico de drogas, crimes patrimoniais e a corrupção estão acabando com o país de maneira acelerada, do jeito que a situação está num futuro não muito adiante algo terá que ser feito como medida brusca ou extrema para garantir a continuidade do país, porque se nada for feito haverá colapso das instituições governamentais e consequentemente do País. 

    No México os criminosos do tráfico se infiltraram nas instituições contaminando-as e tornando-as enfraquecidas, ao ponto delas não conseguirem combater o crime organizado, isso gerou uma onda de violência no país mexicano que resultou em muitas mortes. O Brasil vive situação semelhante. 

    A geração brasileira contemporânea está condenada pelos governantes sem caráter a conviver com crimes e impunidade; esperar novo rumo do Brasil nas áreas de Segurança e de Justiça é como acreditar que a água do mar não é salobra e pode saciar à sede. 

    Merece Reflexão 

Nenhum comentário:

Postar um comentário