quinta-feira, 28 de julho de 2016

Polícia de Sorocaba prende pastor acusado de molestar crianças

Pastor no Momento da Cana
    No final de 2012, uma pessoa do sexo masculino procurou a Delegacia de Defesa da Mulher, em Sorocaba, e relatou que no ano 2001 sofrera abuso sexual por parte de um pastor evangélico. Além de relatar os abusos sofridos por ele, o rapaz revelou a identidade de outra vítima do mesmo sexo.

    A polícia instaurou inquérito para apurar o abuso sexual contra a primeira vítima, que na época do crime era criança, também apurou abuso contra a segunda vítima (menino) e violência sexual contra um irmão da segunda vítima; um irmão não sabia que que o outro teria sido molestado pelo tal pastar. Todos os crimes ocorreram nas residências das três vítimas, que moram em Sorocaba.

    A polícia afirma que após cometer os crimes o autor dizia para as vítimas que se elas revelassem o caso, quem ouvisse não acreditaria pelo simples fato do autor ser um pregador do Evangelho. A autoridade policial relatou o inquérito em 2014. Durante o processo que tramita na 1ª Vara Criminal de Sorocaba sob segredo de justiça, foram identificadas mais vítimas do pastor. No dia 31 de maio de 2016, o juiz da 1ª Vara Criminal de Sorocaba, Jayme Walmer de Freitas decretou a prisão preventiva do pastor, que atualmente tem 58 anos e mora em Sorocaba. Ele exercia atividade pastoral numa igreja em Araçoiaba da Serra. 

    Para embasar a necessidade da prisão cautelar do pastor, o juiz escreveu no despacho que a prisão do pastor é necessária para evitar outras condutas do gênero (prisão para garantir a ordem pública, dispositivo legal do artigo 312 do Código de Processo Penal. Ao decretar a prisão preventiva do pastor, o juiz Jayme de Freitas convidou o delegado seccional de Sorocaba a comparecer no seu gabinete no Fórum e entregou-lhe o mandado de prisão.

    Quando a Polícia foi na casa do pastor para prendê-lo não o localizou. Realizando diligências posteriores, a polícia soube que o pastor estava escondido em casa de uma fiel em Sorocaba. A polícia solicitou mandado de busca na casa da fiel e na sexta-feira, 22/07, os policiais civis entraram na casa e prenderam o pastor. Ele está recolhido numa cadeia da região de Sorocaba, e responde por estupros de vulneráveis artigo 217-A do Código Penal, se sofrer punição poderá ser condenado a cumprir 45 anos de reclusão. 

    Não dá para viver sem notícia

Nenhum comentário:

Postar um comentário