segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

PM e GM de Salto de Pirapora detém o desportista "Chico do Botafogo" por tráfico e a namorada dele também

Chico do Botafogo
    Por volta das 02h30 de segunda-feira, 06/02, equipes da Polícia Militar  e Guarda Civil dirigiram-se a uma residência situada na Rua José Rodrigues Fernandes, Jardim Cachoeira, periferia de Salto de Pirapora, para averiguar denúncia de que um homem e uma mulher realizavam tráfico de drogas no interior da residência.

    O morador autorizou a averiguação no interior da casa, as equipes localizaram 15 pinos contendo cocaína, 46 pedras de crack, R$ 168,00 e cinco celulares. 

    O morador, José Francisco da Silva, 65 anos, mais conhecido por "Chico do Botafogo" relatou que ele era o responsável pelas drogas e que sua namorada que também estava lá, Daiane Mascarenhas da Silva, 22 anos, lhe auxiliava na venda de entorpecentes. Chico do Botafogo disse também que os celulares eram recebidos como pagamento de droga.
Daiane


    As forças de segurança identificaram que um celular é oriundo de furto ocorrido em 19 de janeiro de 2017, na mesma cidade. Chico do Botafogo falou ainda que iniciou à venda de drogas há uma semana. 

    Ao ser apresentado o caso na Delegacia de Salto de Pirapora, o delegado Milton Andreoli prendeu Daiane por tráfico de droga artigo 33 da lei 11.343/06 e prendeu Chico do Botafogo por tráfico de entorpecentes e por receptação do celular furtado artigo 180 do Código Penal. 

    Depois do flagrante os dois foram apresentados ao juiz no Fórum de Sorocaba em audiência de custódia, lá o juiz converteu o flagrante dos dois em prisão preventiva. Ela seria encaminhada à Cadeia Feminina de Votorantim e ele levado ao Centro de Detenção Provisória de Sorocaba.


                        Aqui a notícia chega chegando

Um comentário:

  1. Entendo que o juiz, ao converter o flagrante em preventiva, não agiu corretamente, pois caberia liberdade provisória (com ou sem fiança).
    As audiências de custódia têm se mostrado totalmente inúteis, em razão dos juízes não estarem avaliando o caso concreto e condenando a todos que são submetidos a esse tipo de audiência. (Bazzan)

    advocaciacriminalbazzan@yahoo.com

    ResponderExcluir