quinta-feira, 6 de julho de 2017

Advogado de Pilar do Sul acusado de estupro é libertado da prisão

    

    Tribunal de Justiça-SP mandou libertar o advogado Eduardo de Freitas Santos, que estava preso no presídio em Limeira-SP, acusado de ter molestado sexualmente uma adolescente maior de 14 anos, gravado cenas do ato sexual e depois postado vídeo no aplicativo Whatsapp.

    No Tribunal, um procurador de justiça (promotor) concordou em libertar o advogado porque entendeu que Eduardo Freitas não cometeu violência física para forçar relação sexual com a adolescente. 

    Após o parecer do procurador de justiça, um desembargador seguiu o entendimento do procurador e mandou libertar o advogado, mas impôs-lhe as seguintes condições: o advogado não poderá ausentar-se da Comarca (distrito da culpa) e não se aproximar da vítima e nem das testemunhas arroladas no processo. Eduardo Freitas está liberto desde 30 de junho.

          Relembre o caso

Polícia Civil de Sorocaba prende advogado criminalista em Pilar do Sul
    No início de 2017, um vídeo postado no aplicativo whatsapp mostrou cenas de sexo envolvendo uma adolescente de Pilar do Sul (adolescente maior de 14 anos) e o advogado criminalista Eduardo Freitas Santos, residente na mesma cidade.

    Depois que o vídeo circulou pelas redes sociais na internet o caso foi levado à Delegacia Seccional de Sorocaba. Os delegados Fabrício Balarini e Alexandre Cassola iniciaram a investigação e analisaram imagens do vídeo, em seguida ouviram a adolescente. Ela relatou que não sabia que o ato sexual estava sendo gravado no interior do próprio escritório do advogado e que foi forçada a cometer o ato, disse ainda que após a divulgação do vídeo o advogado telefonou para ela (adolescente) e lhe ameaçou para não revelar o fato.

    A polícia solicitou a prisão preventiva do advogado e mandado de busca e apreensão na casa dele e no escritório dele, situado na Rua Orlando de Almeida Sales, no Bairro Campo Grande, em Pilar do Sul (500 metros da Delegacia), solicitou mandado de busca e apreensão na residência da mãe do advogado, em Itapeva-SP. A justiça ordenou prender Eduardo Freitas e realizar busca e apreensão nos três locais. 

    Por volta das 10h30 de quinta-feira, 30/03, policiais civis foram no escritório do advogado e prenderam Eduardo Freitas. Ainda no escritório dele apreenderam celulares e computadores. Na casa dele na mesma cidade apreenderam computadores. Simultaneamente outra equipe foi na casa da mãe dele em Itapeva e lá apreendeu outras mídias. 

    A polícia acredita que além da adolescente, o advogado pode ter cometido mais delitos vitimando criança ou adolescente, para isso vai analisar todo material apreendido. A polícia ainda indiciou uma moça de 20 anos, que reside em Pilar do Sul, porque de acordo com a investigação essa moça teria divulgado as imagens da adolescente. A moça indiciada responde em liberdade. 

    A investigação continua com relação a terceiros porque a polícia pretende identificar mais pessoas que teria divulgado as imagens pelo aplicativo whatsapp. O advogado responde por estupro artigo 213 do Código Penal e por gravar e publicar imagens de sexo envolvendo a adolescente artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente. Eduardo Freitas foi trazido para a sede do GARRA em Sorocaba. Na sexta-feira, 31/03, a polícia pretende ouvir o advogado e depois o encaminhar ao sistema prisional da região (exceto à cadeia de seguro em Pilar do Sul).

    Quem ler jornal só sabe notícia amanhecida; leia Sorocaba Notícia aqui a notícia é da hora!

Nenhum comentário:

Postar um comentário