segunda-feira, 3 de julho de 2017

Desfecho do Crime - Tribunal do Júri condena dois responsáveis pela morte do motorista Waldemar Ballestero em Piedade


    Conselho de Sentença do Tribunal do Júri de Piedade considerou dois homens culpados pela morte do motorista Waldemar Ballestero, 62 anos, que residia sozinho num apartamento térreo do Bloco 131-A do Conjunto Habitacional Airton Senna (CDHU), em Piedade.

    Durante seu interrogatório na sessão do júri, o acusado Maximino Eugênio Duarte Badaró confessou sua culpa e tentou isentar participação do comparsa Leonardo Garcia Fogaça de Moraes. Essa postura de Badaró não lhe favoreceu em atenuante da pena por conta da confissão, porque o juiz Cássio Mahuad entendeu que Badaró não proferiu confissão plena dos fatos.

    Tanto Badaró como Leonardo estão condenados a cumprir 16 anos de cadeia por cometerem homicídio duplamente qualificado artigo 121 parágrafo 2º incisos III e IV do Código Penal (meio cruel e recurso que dificultou a vítima de se defender). O julgamento ocorreu quinta-feira, 29/06. Ambos estão presos. 

    O motorista Waldemar Ballestero sofreu homicídio no interior de seu apartamento, na madrugada de 22 de abril de 2016 ao ser ferido por quinze golpes de faca. A Polícia Civil de Piedade informou que o motivo do delito teria sido represália por causa das denúncias que Waldemar fazia à Polícia a respeito do tráfico de drogas no CDHU Airton Senna.

    Quem comete crime está sujeito a pão de angústia e água de amargura 


Nenhum comentário:

Postar um comentário