terça-feira, 15 de agosto de 2017

Mulher vai processar comércio em Salto de Pirapora por dano moral

    Elezabete Margarida Correia de 30 anos comprou diversos produtos num Supermercado localizado na região central de Salto de Pirapora, e pretendia comprar um produto incolor para lustrar calçado, porém não encontrou. Ela dirigiu-se ao Supermercado Paulistano, situado na Praça Elpidio Marcelo (Praça da Fonte). 

    Por ser de um país da África, e ainda não falar fluentemente Português, Elezabete levou uma embalagem vazia do lustrador de calçado, e entrou no Supermercado Paulistano, ela indagou a um funcionário se havia o lustrador de calçado no comércio, o funcionário indicou a prateleira que existia o produto, ela chegou na seção, mostrou a embalagem vazia a outro funcionário e pediu ajuda para encontrar o produto. O funcionário procurou o produto e não o encontrou, imediatamente informou que faltava o lustrador de calçado (incolor).

    Elezabete agradeceu a ajuda do funcionário e saiu do Supermercado com a embalagem vazia, naquele momento o funcionário Jurandir Duarte correu atrás da mulher e gritou em alta voz "senhora devolva o produto". Assustada, Elezabete perguntou-lhe qual produto? 

    O funcionário disse-lhe "o produto que a senhora pegou no Supermercado".  Jurandir rasgou as sacolas que havia produtos que a mulher comprara no outro Supermercado, ainda pegou a mulher pelo braço e em seguida solicitou que alguém do Supermercado chamasse à Polícia Militar. Aquela cena atraiu aglomeração de pessoas curiosas para ver o que acontecia.

    Policiais militares e guardas civis municipais atenderam ao chamado e após revistarem as sacolas que Elezabete carregava, constataram que houve engano. O caso aconteceu no final da tarde de 07 de agosto de 2017, dois dias depois, Elezabete desceu à Delegacia da cidade e registrou queixa de ter sofrido calúnia. "Acredito que ele agiu daquela maneira comigo porque sou negra, a vergonha que sentir por causa das pessoas que estavam na rua; ao término do caso eu disse que ele nunca mais vai fazer isso com ninguém", afirmou a mulher.

    Elezabete consultou um advogado e decidiu assinar procuração  para processar o Supermercado pretendendo indenização por dano moral. Elezabete é conhecida por "Bete", casada, mãe de dois filhos, ela e os familiares residem na Rua João de Goes, no Centro de Salto de Pirapora; ela veio ao Brasil em fevereiro de 2009 para estudar administração de empresa, e concluiu o estudo de nível superior recebendo o diploma.

    Segredo da credibilidade é ser fiel ao fato

Nenhum comentário:

Postar um comentário