quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Polícia Civil de Piedade esclarece que não houve latrocínio no Bairro dos Garcia, o marido da vítima encomendou o crime; todos envolvidos estão no calabouço

Benedito

    Brilhante trabalho de investigação da Polícia Civil de Piedade esclarece que o caso registrado como latrocínio, em 13 de agosto deste ano, em que Rita de Cássia Aires de 47 anos, fora encontrada amarrada por fios elétricos e morta por estrangulamento no interior da própria residência no Bairro dos Garcia, em Piedade, não fora latrocínio, na verdade, o marido encomendou a morte da esposa.

    De acordo com a Polícia, o marido da vítima o Sr Benedito Gelson de 49 anos, musico da Igreja Congregação Cristã no Bairro Campininha, na mesma cidade, não vivia "bem" com sua esposa Rita de Cássia, ela pretendia separar-se,  ele não pretendia separação para não sofrer perda de poder econômico, Benedito imaginou contratar alguém para por em prática um plano para dar cabo a vida da esposa Rita.
Fabiano


    Benedito procurou o conhecido dele, Fabiano de Jesus da Fonseca, morador do Bairro Piratuba, em Ibiúna e fez-lhe a proposta criminosa, Fabiano rejeitou atuar diretamente, porém, intermediou a contratação de dois indivíduos residentes no Bairro Aparecidinha, em Sorocaba. Benedito bateu martelo da contratação oferecendo R$ 5 mil e mais, os criminosos poderiam levar pertences de valor da casa para simular latrocínio, como de fato foi essa a versão registrada logo após a vítima ser encontrada morta. 

                      Como a Polícia elucidou

    O faro policial apontou que todas as circunstancias relacionadas ao crime demonstravam que a versão de latrocínio não teria sustentação. Ao ouvir um filho do casal, este disse à polícia que seu pai mantinha relacionamento extraconjugal com uma sobrinha da esposa dele, uma adolescente de 16 anos. 
Thiago


    A polícia ouviu a adolescente na condição de informante e ela confirmou o relacionamento e disse que seu amante Benedito externou plano para matar a esposa dele. A polícia ouviu Benedito em duas vezes e sua versão nem um ponto crível e nem alinhada com os fatos. 

    Benedito disse que na noite do crime, ele saiu da residência às 19h para ir ao culto no Bairro Campininha e retornou por volta das 21h30, informou também que locomoveu-se abordo de um automóvel Cruze. 

    A polícia pesquisou via Detecta e identificou que na noite do crime e horário citado por Benedito que estaria no culto o veículo Cruzer circulou por um trecho da Rodovia Bunjiro Nakao, isso desmontou a versão apresentada por ele (Benedito).
José Antonio
 


    Ele (marido suspeito) teria dito ainda que não se recordava qual a mensagem biblica explanada pelo preletor naquela noite do crime, essa afirmativa aqueceu mais a suspeita que ele faltava com a verdade sobre os fatos.  Os policiais apresentaram-lhe elementos da investigação que comprovam que Benedito não esteve no culto na noite do crime pois seu carro trafegou pela Rodovia Bunjiro Nakao. Diante disso, Bendito confessou o crime. Na noite do crime, Benedito foi mostrar o endereço de sua residência aos criminosos.

    Ao conhecer a conduta individual dos suspeitos, a polícia pediu a prisão dos envolvidos e após a Justiça ordenar prendê-los, houve a captura de Benedito na sexta-feira, 18/08; na segunda-feira, 21/08, a polícia prendeu Fabiano acusado por intermediar a contratação dos executores e na quarta-feira, 23/08, capturou os dois executores: Thiago Nunes da Fonseca, 24 anos, e José Antonio Pereira Neto, residentes em Aparecidinha, em Sorocaba. Os policiais ainda apreenderam objetos que os criminosos subtraíram da residência da vítima na noite do crime.

    Aqui a notícia chega chegando  

Nenhum comentário:

Postar um comentário