quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Após perder partida de bilhar, indivíduo tentou matar o amigo no Bairro Campo Largo, em Salto de Pirapora

Toninho Cowboy

    O pedreiro Adilson Leite Ferreira de 34 anos, era cliente assíduo de um bar, e amigo do dono do bar, o comerciante Antonio Marcos Vieira da Silva, mais conhecido por "Toninho Cowboy". O comércio situado no Bairro Campo Largo, em Salto de Pirapora, é frequentado por quem gosta de tomar birita, cerveja, e por àqueles que curtem jogar partida de bilhar valendo dinheiro ou cerveja.

    Devido o grau de amizade com o pedreiro Adilson, o comerciante Toninho Cowboy costumava preparar iguarias no bar e oferecer ao pedreiro Adilson, que por aceitava e degustavam: arroz com frango e outras comidas. Na noite de 25 de agosto deste ano, Toninho Cowboy preparou arroz com frango para degustar no bar com o amigo Adilson, antes disso, eles combinaram disputar partidas de bilhar valendo R$ 10,00. Adilson perdeu a disputa, pagou R$ 10,00 e saiu fora do comércio para conversar com outro indivíduo.

    Toninho Cowboy diz que Adilson conspirou agredi-lo, mas temendo reação do comerciante, Adilson combinou com o Manoel Silva Lima, com quem Adilson conversava do lado de fora do bar, e para pôr o plano em prática, Adilson chamou o comerciante dizendo: Veja aquele cara que vem se aproximando aqui do seu bar, ele é preso e está de saidinha. 

    Quando o comerciante saiu fora do bar, Adilson estava com um taco de bilhar em mãos e apontou em direção oposta para distraí-lo, tão logo o comerciante olhou, Adilson desferiu golpe com taco na cabeça do comerciante, a vítima caiu ajoelhada, em seguida o indivíduo Manoel Silva desferiu um chute atingindo a boca do comerciante e outro chute no rosto. Os dois agrediram o comerciante, observando às lesões, além dos chutes, o comerciante sofreu mais de dez golpes com taco.

    No referido bar existe um cão pitbull, o animal latia durante às agressões, contudo não pôde defender seu dono porque o animal estava preso. Um vizinho ao bar tomava banho em sua casa e após o banho foi vê o que acontecia e encontrou a vitima ferida. Os agressores fugiram. O vizinho pediu ajuda e pôs o comerciante no carro e o levou para a Santa Casa. O hospital transferiu o comerciante ao Hospital Regional de Sorocaba e acionou a Polícia Militar.

    A equipe de milicianos comandada pelo sargento Adail colheu informações na Santa Casa e em seguida deteve os dois indivíduos: o pedreiro Adilson e o Manoel Silva, que moram no mesmo bairro. Na Delegacia, Manoel Silva falou que não participou das agressões, acrescentou que tentou socorrer o comerciante, essa versão fantasiosa dele rendeu-lhe liberação (arrolado como testemunha); o delegado Gilberto Montenegro Costa Filho prendeu Adilson por tentativa de homicídio (artigo 121 combinado com artigo 14, ambos do Código Penal). Sorocaba Notícia recebeu foto da vítima no hospital, porém, para não provocar forte comoção decidiu não publicar.

    O comerciante Toninho Cowboy sofreu fratura no nariz, fratura num dedo e três fraturas num braço, porque utilizou o braço para se defender, por causa das lesões ele esteve dez dias internado, já fora liberado e não vive risco de morrer. Recuperando-se na casa de familiares em Pilar do Sul, Toninho Cowboy detalhou como tudo ocorreu e disse não entender porquê o pedreiro Adilson planeou e cometeu tal agressão covarde. O comerciante crer que o pedreiro cometeu o crime desarrazoado, talvez, movido por substância entorpecente.

    Notícia sem detalhe não é verdadeira, é suposição.



Nenhum comentário:

Postar um comentário