sábado, 28 de outubro de 2017

Desfecho do Crime - Um homem condenado e outro absolvido pelo júri em Salto de Pirapora


    Sexta-feira à tarde, 27/10, dois homens estiveram sentados no banco dos réus em Salto de Pirapora. Desde 2015, Adelmo Júnior da Silva de 28 anos e Isaías Rodrigues Ramos de 26 anos eram acusados de tentarem matar por meio de arma de fogo, o cidadão José Assis Claro de Oliveira, 38 anos, apelidado por "Nenê".

    O crime teria acontecido numa madrugada no mês de junho de 2015 no Bairro Paulistano. Dois indivíduos num veículo, um que estava armado efetuou quatro disparos e depois os dois fugiram no veículo. 

    José Assis foi levado ao hospital em Salto de Pirapora e escapou da morte. Ao ser liberado do hospital, José Assis acusou Adelmo e Isaías, ambos residentes em Salto de Pirapora. José Assis reside próximo aos suspeitos. A Polícia Civil solicitou a prisão dos dois suspeitos.

    Em julho daquele ano, a Polícia Militar de São Miguel Arcanjo deteve Isaías porque pela madrugada ele tentou invadir a Caixa Econômica Federal naquela cidade provavelmente para furtar dinheiro e objetos. Em agosto (mês seguinte), a Polícia Civil cumpriu o mandado de prisão prendendo Adelmo em Salto de Pirapora.

            O júri

    Ao ser indagado pela juíza Thais Galvão, o acusado Adelmo negou responsabilidade no crime alegando que na noite do crime ele estava trabalhando atendendo clientes num bar em Salto de Pirapora. Isaías assumiu a autoria do crime afirmando que ele soube que José Assis alimentava rixa com ele e pretendia matá-lo por esse motivo ele (Isaías) adquiriu uma arma de fogo para se defender. Quando encontrou José Assis, Isaías teria efetuado os disparos. 

    O promotor de justiça Vitor Petri convergiu com os advogados Luís Rodolfo Cortez e Izaias Domingues: pedindo absolvição do réu Adelmo e pugnando pela condenação de Isaías Ramos por tentativa de homicídio simples artigo 121 combinado com artigo 14, ambos do Código Penal. Os jurados condenaram Isaías e inocentaram Adelmo. A juíza impôs ao Isaías condenação por 4 anos em regime aberto.

    Adelmo será posto em liberdade nos próximos dias. Isaías ainda está condenado pela Justiça Federal a 2 anos e 9 meses em regime aberto pelo crime cometido na Caixa Econômica Federal, em São Miguel Arcanjo. Ele também ganhará liberdade nos próximos dias, porém, terá que comparecer ao Fórum a cada 4 meses, não deve frequentar bar, e recolher-se em sua residência até às 22h e lá permanecer até às 06h.

    Quem comete crime está sujeito a pão de angústia e água de amargura 

Um comentário:

  1. Certamente a sociedade fica muito satisfeita com a condenação imposta pela justiça!!! Tentativa de homicídio e furto a agência bancária e o indivíduo tem a dura pena de comparecer ao Forum a cada quatro meses!!! Parabéns principalmente aos nossos estimados políticos que são os criadores dessas leis!!! Este não é um país sério!

    ResponderExcluir