quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Um preso em Hortolândia-SP engoliu três celulares


    SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA informa que na sexta-feira, 26/01, um preso do Centro de Progressão Penitenciária de Hortolândia, após retornar de trabalho externo, foi submetido a revista por meio de scanner corporal e constatou-se que haviam três corpos estranhos em seu estômago. 

    Os agentes o questionaram sobre os objetos e o sentenciado então confessou que havia engolido três celulares. Voluntariamente o detento regurgitou dois dos aparelhos, não conseguindo expelir o terceiro. Imediatamente foi encaminhado ao hospital para retirada do objeto, porém após avaliação médica foi liberado sem ter conseguido retirar o terceiro celular de seu interior. 

    Ao retornar a unidade prisional o preso foi encaminhado à ala de enfermaria, onde permaneceu em observação até a data de ontem, 29/01, quando foi novamente levado ao hospital para realizar a retirada do aparelho de seu estômago.

    A Pasta informa ainda que além da preservação da saúde do preso, foi lavrado boletim de ocorrência e os ilícitos apreendidos foram encaminhados ao Distrito Policial. A direção da unidade instaurou Procedimento Apuratório Preliminar para averiguar as circunstâncias do fato e também solicitou a regressão do preso ao regime fechado.

    Texto reproduzido da Secretaria da Administração Penitenciária-SP

Caso na quadra da Escola Ana Cuevas em Salto de Pirapora pode resultar em demissão de diretora e vice-diretora

    DIRETORIA DE ENSINO em Votorantim responde e-mail de Sorocaba Notícia informando que a queima de material na quadra da Escola Ana Cuevas, em Salto de Pirapora é fato isolado e poderá resultar em punição de diretora e vice-diretora 

     A Diretoria de Ensino de Votorantim informa que não haverá prejuízo para os alunos nesse início de ano e que a atitude das docentes está sendo investigada pela polícia. Os livros didáticos danificados são de 2012.

    O descarte de material didático segue o que está estabelecido pela Resolução SE 83/2013, da Secretaria Estadual da Educação. A escola faz o arrolamento dos materiais através de uma comissão. Encaminha para a Diretoria de Ensino, que faz a análise e envia para a Comissão da Secretaria da Educação. Após esses procedimentos é autorizado o descarte.

    A Diretoria tomou todas as medidas administrativas abrindo um processo de apuração e colaborando com a investigação policial.  Este é um caso isolado e o correto seria enviar o material para descarte após o processo de reciclagem. Após a apuração total dos fatos, as envolvidas poderão sofrer punições, chegando à demissão.

    Aqui a notícia chega chegando

Cabeleireira de São Bernardo-SP é presa ao tentar introduzir drogas em unidade prisional de Mairinque


    REVISTANDO o "jumbo" de uma mulher que pretendia visitar seu esposo Rodrigo Arguerro, que está preso na unidade prisional de Mairinque, agentes penitenciários encontraram cinquenta gramas de cocaína e cinquenta e dois gramas de maconha.

    Diante do fato, os agentes detiveram a cabeleireira Aracely dos Santos Pezzuto Argueirro de 40 anos, que reside em São Bernardo do Campo-SP. 

    Na Delegacia de Mairinque, a delegada Priscila de Oliveira Rodrigues prendeu Aracely Arguerro por tráfico de drogas artigo 33 da lei 11.343/06. O crime ocorreu sábado, 27/01. 

    Notícia sem detalhe não é verdadeira, é suposição.

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

8º DP de Sorocaba captura criminoso; o carro que ele dirigia é produto de roubo em Aracaju-SE

João Gordo Algemado no DP

    POLICIAIS do 8º Distrito Policial de Sorocaba realizaram acompanhamento a um Palaio de cor vermelho, placa de São Paulo PSF 2769 e obtiveram sucesso em interceptar o automóvel e abordar o condutor João Carlos Delfino Valentim, conhecido nos meios policiais e apelidado por "João Gordo".

    João Gordo não portava ilícito e nem no interior do veículo havia materialidade delitiva. Pesquisa informou que João Gordo estava na condição de procurado pela Justiça e também revelou que o carro que ele dirigia é produto de roubo ocorrido em outubro de 2017 na capital sergipana.
Carro Roubado


    Os investigadores apreenderam o carro e detiveram o indivíduo João Gordo. A autoridade policial registrou captura de procurado e flagrante de receptação artigo 180 do Código Penal. O fato ocorreu segunda-feira, 29/01, numa via pública da Vila Haro, em Sorocaba.

    Aqui a notícia chega chegando

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Dois no chilindró por causa de tráfico em Itapetininga


    FORÇA TÁTICA surpreendeu um indivíduo que teria sob sua responsabilidade oitenta e quatro pedras de crack e R$ 49,00 que seria da venda de entorpecente. O crime ocorreu sexta-feira, 26/01, na Rua Evaldo Tibes, Vila Prado em Itapetininga. Reberton Gabriel de Oliveira foi encaminhado para audiência de custódia.

    Policiais da Força Tática capturaram o indivíduo Leonardo César S. de Jesus, acusado de vender entorpecentes. De acordo com informação oficial, os policiais detiveram o indivíduo Leonardo César de Jesus porque ele estaria envolvido com o tráfico de drogas. Com ele havia 12 eppendorfs, um tablete de maconha e R$ 19,00. O caso ocorreu dia 27/01 na Rua Pedro Sabino Ayres, Vila Rio Branco, em Itapetininga.

    Aqui a notícia chega chegando

 

Vice-diretora e diretora de escola são presas por queima de documentos na quadra da unidade em Salto de Pirapora


    DENÚNCIA por meio do telefone mobilizou uma equipe da Guarda Civil de Salto de Pirapora para combater incêndio na quadra da Escola Ana Cuevas, no Jardim Daniel David Haddad. 

    Os guardas constaram o incêndio e combateram às chamas e souberam da vice-diretora Samira Talira, que ela pôs fogo em documentos inválidos da própria escola, e teria cumprido determinação da diretora Marinalva Oliveira.

    Os guardas procuraram a diretora e esta confirmou a versão citada pela vice-diretora. A guarnição conduziu as duas para a Delegacia de Salto de Pirapora. 

    Ao ouvir o relato dos guardas e das dirigentes da unidade de ensino, o delegado Gilberto Montenegro prendeu as duas por cometerem incêndio majorado artigo 250 do Código Penal e por dano qualificado artigo 163 do Código Penal. Após o término do registro a vice-diretora e a diretora foram encaminhadas para audiência de custódia em Sorocaba. O fato ocorreu domingo, 28/01. 

    Não dá para viver sem notícia 

domingo, 28 de janeiro de 2018

Indivíduos de Salto de Pirapora são presos em Pilar do Sul

Nardo

DOIS INDIVÍDUOS foram levados ao chilindró pela Polícia Militar, acusados de furtarem sessenta metros de tela para alambrado de uma chácara próximo a substação da Elektro em Pilar do Sul. 

    O vizinho do sitio viu os dois homens subtraindo a tela e levando para ser carregada numa caminhonete Ford F 1000 de cor preta e acionou a Polícia Militar.
Josué


    A caminhonete trafegou pela Rodovia Francisco José Ayub (SP 264) em direção à Salto de Pirapora, policiais militares de Pilar do Sul e de Salto de Pirapora realizaram acompanhamento e na altura do Km 134 da SP 264 interceptaram e abordaram o veículo. Durante a fuga a tela caiu da caminhonete, mas as equipes conseguiram recuperá-la.

    Dois homens que residem em Salto de Pirapora e estavam na caminhonete F 1000 foram levados à Delegacia de Pilar do Sul. O delegado Oscar Garcia Machado prendeu os dois homens por furto consumado artigo 155 do Código Penal e os encaminhou para audiência de custódia.

    Os presos são: o comerciante Leonardo Benedito Proença, 40 anos, mais conhecido por "Nardo" proprietário de uma padaria no Bairro Campo Largo, em Salto de Pirapora, "Nardo" é o dono da Comitiva Treme Terra vencedora do desfile cívico do aniversário de Salto de Pirapora em 2017, o outro preso é Josué de Almeida, 32 anos, funcionário de Nardo. O caso aconteceu quinta-feira de madrugada, 25/01. 

    Notícia sem detalhe não é verdadeira, é suposição.   

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Estatística fecha 2017 apontando que São Paulo registrou menos mortes violentas e queda de sequestros


SÃO PAULO terminou o ano 2017 com reduções recordes nos indicadores de casos e vítimas de homicídios, que tiveram as menores taxas em 17 anos. Os índices de roubos em geral e de veículos, roubos a banco e sequestros também diminuíram na comparação com 2016.
    Os casos de homicídio doloso recuaram 6,48% de janeiro a dezembro, passando de 3.521 para 3.293 registros e chegando ao menor total para a série histórica, iniciada em 2001. Os dados de criminalidade foram divulgados pela Secretaria da Segurança Pública nesta quarta-feira (24). 
    Já o número de vítimas de homicídio diminuiu 4,65% no ano passado, na comparação com o período anterior. O total diminuiu 3.674 para 3.503 pessoas mortas, a quantidade mais baixa desde 2001. Com essa redução, 171 vidas foram poupadas nas diversas regiões paulistas. “Vidas poupadas graças aos esforços das nossas polícias e também das políticas públicas adotadas no Estado de São Paulo”, destacou o secretário da Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, durante a divulgação dos dados.
    Com as variações dos indicadores de mortes intencionais, as taxas também diminuíram. Assim, em 2017, houve 7,54 casos e 8,02 vítimas de homicídios a cada 100 mil habitantes do Estado de São Paulo. Ambos os índices são os menores dos últimos 17 anos.
    “Esse número é muito significativo, que impressiona se nós compararmos com o restante do país e com algumas cidades de grande importância no cenário mundial”, falou o secretário em relação às taxas de homicídio doloso. 

 
    Em 2017, os estupros aumentaram 10,28%, passando de 10.055 para 11.089. Já as extorsões mediante sequestro caíram pela metade – de 30 para 15 boletins de ocorrência na comparação com 2016. O total desse indicador é o mais baixo da série histórica.
                       Latrocínios
    O total de latrocínios diminuiu 5,11% no ano passado, baixando de 352 para 334 ocorrências. Já o número de vítimas diminuiu 6,37%, de 361 para 338, poupando 23 vidas na comparação com 2016. Ambos os indicadores são os menores já registrados desde o ano de 2011. 

 
                                 Roubos e furtos
    Os roubos em geral diminuíram 5,99%, recuando de 323.274 para 303.906. Com 19.368 a menos, o total de 2017 foi o menor desde 2013. 
    Os furtos em geral aumentaram 0,14% (de 514.892 para 515.594) no ano, porém tiveram quatro quedas seguidas entre setembro e dezembro. No último mês do ano de 2017, houve queda de 6,4% - passando de 43.571 para 40.788, menos 2.783 casos a menos.
    Em 2017, os roubos de veículos apresentaram diminuição de 13,07% – de 77.949 para 67.760, o menor total desde 2008.  O indicador apresentou queda em todos os meses do ano.

 
    Na mesma tendência, os furtos de veículos caíram 5,53%, passando de 110.932 para 104.799 boletins de ocorrência, chegando ao menor total desde 2010.
Os roubos a banco diminuíram 29,20% e chegaram à menor quantidade em 17 anos: 97 registros. No ano passado, foram 137 casos.

 
    Os roubos de carga aumentaram 6,45% no ano (de 9.943 para 10.584), mas tiveram queda nos últimos quatro meses do ano. Em dezembro, a diminuição foi de 19,42%, passando de 1.076 para 867. “Todos os crimes contra o patrimônio também sofreram redução, a exceção do roubo de carga, que teve esse aumento, mas vem tendo agora uma redução ao longo dos últimos quatro meses, e o furto, que teve um número praticamente estável. É muito significativa a queda dos roubos em geral e dos roubos e furtos de veículos”, disse Mágino.
                         Produtividade policial
    O trabalho realizado pelas três policiais estaduais resultou em 190.680 prisões, realizadas ao longo de 2017. O total é 1,02% superior ao registrado no ano anterior: 188.751. A quantidade é um recorde para a série histórica, que começou em 2001 com 107.478 detenções.
    Ainda durante a apresentação dos dados, o secretário destacou a atuação policial no combate ao crime. “O trabalho da polícia de São Paulo é muito eficiente em relação a todas as suas áreas de atuação. É um exemplo de polícia. Sem sombra de dúvida, as nossas polícias são as melhores forças de segurança do país. O trabalho incansável é que permite que tenhamos esses indicadores".
    O total de flagrantes de tráfico de drogas também foi recorde: 49.346 registros no ano passado. Na comparação com 2016, que teve 45.549 casos, o aumento foi de 8,34%. Ao longo do ano de 2017, os policiais civis e militares do Estado de São Paulo também apreenderam 15.597 armas de fogo.
    Mágino falou também sobre a importância do reforço de efetivo policial no patrulhamento. “Quando se coloca mais polícia na rua e aumenta o patrulhamento, se inibe a ação criminosa”, comentou. “Só aqui na Capital, a PM fez o planejamento da operação “100 Dias”, com 400 operações policiais sendo realizadas por dia. Isso obviamente traz um resultado positivo. E estamos fazendo todo esforço possível para manter e ampliar esse tipo de policiamento ostensivo e preventivo", completou.
    Texto reproduzido da Secretaria de Segurança Pública-SP

ADPESP e SINDPESP: A quem interessa o sucateamento da Polícia Civil?

    ASSOCIAÇÃO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA e o Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo vêm a público denunciar a calamidade vivenciada pela Polícia Civil nas últimas décadas. As entidades, unidas, começam um ciclo de ações pontuais para alertar a população sobre o que está por trás da insegurança desenfreada que acomete as ruas de todo o estado.
Nessa quarta-feira, 24, as entidades veicularam junto ao jornal Metro News, o terceiro mais lido na capital, a primeira peça de uma campanha publicitária que questiona o completo descaso do governador Geraldo Alckmin frente ao sucateamento da Polícia Civil e, por consequência, da Segurança Pública.
A Polícia Civil é um dos pilares do combate à corrupção e à impunidade, uma vez que trata-se da polícia investigativa, ou seja, da polícia responsável pela resolução dos crimes que tanto assolam a população. O trabalho empenhado, em virtude disso, é realizado com pontualidade e estratégia, já que precisa ser exercido nos mínimos trâmites e detalhes previstos em Lei.
Para tanto, os investimentos na Polícia Civil são essenciais. Com o aumento crescente da população, a Instituição exige do Estado mais policiais, equipamentos e infraestrutura profissional. O crime, por sua vez, também encontrou novos meios e novos escopos de atuação, exigindo da Polícia uma resposta ainda ágil e eficiente.
O cenário, porém, é outro. A população aumenta, enquanto o número de policiais despenca ano após ano. A ausência de investimentos por parte do governo termina por sucatear toda a estrutura, o que pode ser evidenciado pelas condições sofríveis das delegacias em todo o estado. Os policiais são desvalorizados da mesma maneira, recebendo salários pífios, desrespeitosos e incompatíveis com a importância de suas funções junto à segurança do cidadão, mesmo em São Paulo, o estado mais rico da nação e o que mais arrecada.
O resultado disso é que, diariamente, delegados de polícia paulistas, após todo o custeio de seleção e formação, deixam seus cargos em busca de melhores condições em outros estados e outras carreiras. Os quadros ficam deficitários e quem sai prejudicada é a população, que sente crescer a sensação de insegurança e impunidade.
O reajuste anunciado por Geraldo Alckmin no começo de janeiro, convenientemente em ano de pleito, é meramente eleitoreiro. Ao anunciar um ‘aumento’ de 4% após quatro anos, o governador assume seu descaso com a Polícia Civil e seus policiais, em especial para com os delegados paulistas, que recebem os piores vencimentos de todo o país.
Apesar do desdém do governo, os policiais civis seguem cumprindo sua missão constitucional junto à população, graças à vocação e ao compromisso com uma sociedade mais justa e segura, cientes de que muito mais poderia ser feito, caso o governo tratasse a Polícia Civil com o respeito compatível com sua importância.
A ADPESP e o SINDPESP seguirão reunindo esforços e atuando de forma conjunta para esclarecer à população que a Polícia Civil vive um dos momentos mais críticos e decisivos de sua história, mas que seus policiais seguirão comprometidos com o cumprimento do dever. Ainda assim, permaneceremos vigilantes e atuantes para que a sociedade tome ciência da real emergência da Segurança Pública em São Paulo. Texto reproduzido do Site Flitparalisante.


quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Redução de latrocínios e aumento de homicídios na Região de Sorocaba


    REGIÃO DE SOROCABA apresentou queda nos latrocínios, roubos em geral,  roubos de veículo e roubos a banco, além dos casos de furtos em geral e de veículo em 2017, em comparação ao ano de 2016.
    Os latrocínios caíram em 31,58% no ano passado, passando de 19 para 13 ocorrências, mesma redução apresentada no número de vítimas. Ambos os índices são os menores desde 2009.
    Os roubos em geral reduziram em 0,51% no ano passado, de 7.414 para 7.376 ocorrências, enquanto os roubos a banco diminuíram em 55,56%, passando de nove para quatro casos.
    Os roubos de veículo apresentaram queda de 9,67%, passando de 1.313 para 1.186. Em 2017, os roubos de carga subiram 30,53%, de 95 para 124 casos.
    Os furtos em geral tiveram queda de 1,06%, passando de 28.267 para 27.968, enquanto os furtos de veículos tiveram redução de 5,13%, de 4.250 para 4.032.
                           Outros indicadores
    O total de casos de homicídios dolosos subiu 8,37%, de 203 para 220. O número de vítimas aumentou em 11,48%, passando de 209 para 233 em 2017.
    No ano de 2017, as taxas de homicídios foram de 7,37 casos e 7,81 pessoas mortas a cada 100 mil habitantes.
   No ano passado, os estupros subiram em 8,97%, um aumento de 1.037 para 1.130 ocorrências na região. Não houve casos de extorsão mediante sequestro em 2017.
                         Produtividade
    No ano passado, os trabalhos das polícias na região de Sorocaba resultaram em 16.410 criminosos detidos, 1.241 armas de fogo apreendidas e 3.508 flagrantes de tráfico de drogas.
    Texto reproduzido da Secretaria de Segurança Pública-SP

Ação impede entrada de celulares em unidades prisionais de Itapetininga


    SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA informa que terça-feira, 23/01, graças à força de trabalho de agentes penitenciários e da Polícia Militar foi frustrada a entrada de 80 objetos ilícitos nas Penitenciárias  I "Jairo de Almeida Bueno" e II "ASP Maria Filomena de Sousa Dias" de Itapetininga. 

    Por volta das 20h, o Complexo Prisional, onde são localizadas as unidades, recebeu uma denúncia de que indivíduos em um Escort de cor marrom estariam a caminho das Penitenciárias I e II de Itapetininga com o objetivo de entrarem nas matas ao entorno dos presídios, se aproximarem dos alambrados que cercam as Alas de Progressão Penitenciária e arremessarem celulares e entorpecentes. Imediatamente os diretores do Complexo contataram a Polícia Militar, que realizou buscas na rodovia que leva até as unidades prisionais. 


    A polícia abordou na estrada o referido carro, que continha quatro indivíduos e, ao realizar a revista, foram encontradas duas mochilas com 13 celulares, 14 carregadores, 26 fones de ouvido, nove chips para telefone celular, 10 porções de cocaína, sete invólucros contendo maconha e ainda um alicate de corte. Os ilícitos, provavelmente, seriam arremessados para dentro das Alas de Progressão, conforme denúncia.

    Os suspeitos foram conduzidos ao Plantão Policial, onde foi lavrado Boletim de Ocorrência. Foram instaurados Procedimentos de Apuração Preliminar para investigar quais seriam os presos a receberem os objetos ilícitos nas duas unidades. Sendo que, quando identificados, os diretores requererão ao juiz local a regressão dos presos para o regime fechado.


    Não dá para viver sem notícia

Justa absolvição de pai e filho em Salto de Pirapora

    PARA JULGAR uma pessoa por crime contra a vida deve haver materialidade delitiva e prova de autoria ou pelo menos indicio de autoria que é circunstância apontando que tal pessoa cometeu o crime. O caso julgado na terça-feira ,23/01, pelo Tribunal do Júri em Salto de Pirapora carrega hipótese de indício. O veredicto absolveu pai e filho que eram acusados pelas mortes de dois homens e ferir um terceiro no Bairro Fazendinha.

    Há um princípio jurídico que recomenda absolver o réu em caso de dúvida. A vítima sobrevivente afirmou que reconheceu pai e filho como sendo os autores dos tiros. Ao discorrer sobre os fatos e sustentar a acusação o ministério público não citou outro elemento que pudesse harmonizar com o reconhecimento do sobrevivente, por isso essa afirmativa do sobrevivente é compreendida como prova fraca, e considerada insegurança jurídica. 

    Outro detalhe é que a vítima sobrevivente era desafeto de pai e filho fato que abriu campo para imaginar que o sobrevivente teria tentado incriminá-los para se vingar deles. Esse conjunto de fatores apresentando lacuna quanto a autoria gerou comodidade ao advogado dos réus para bradar durante o julgamento mais de três vezes que o sobrevivente mentiu ao afirmar que reconheceu os réus. Em todos os pontos que se observar esse caso surge dúvida com relação a autoria. Portanto, ao inocentar os réus o conselho de sentença fez justiça aplicando o princípio in dubio pro réo.

    Merece Reflexão 

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Quadrilha de crimes patrimoniais e do tráfico é presa em Sarapuí


    POLÍCIA MILITAR recebeu denúncia que criminosos de uma quadrilha que cometia furtos e roubos na área rural de Sarapuí estariam escondidos numa mata do Bairro Boa Vista naquele município. 

    Ainda de acordo com a denúncia, os criminosos além de cometerem crimes contra o patrimônio, vendiam drogas. Equipe da Força Tática de Itapetininga diligenciou pelo referido bairro e numa mata localizou e capturou os suspeitos.

    Com eles havia televisores, uma moto CG supostamente furtada, 21 porções de maconha, um tijolo de maconha e duas espingardas. O material e os indivíduos foram apresentados na Delegacia de Sarapuí. 

    O delegado Agnaldo Nogueira Ramos prendeu os quatro indivíduos: Cristiano da Costa Mendes, os irmãos Reginaldo Lopes Raszejas e Roberto de Paula Lopes Raszejas e um adolescente. 


    Eles respondem por porte de armas, formação de quadrilha e tráfico de droga. Todos estão à disposição de Justiça (audiência de custódia). O caso aconteceu quarta-feira, 24/01.


    Notícia sem detalhe não é verdadeira, é suposição.  

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Desfecho do Crime - Pai e filho são absolvidos no júri popular em Salto de Pirapora


    DOIS HOMENS acusados de matarem duas pessoas e tentar matar outra estiveram sentados no banco dos réus do Tribunal do Júri em Salto de Pirapora, na terça-feira à tarde, 23/01. 

    Conforme acusação do ministério público, pai e filho teriam matado a tiros Felinto Correa Santana e Eduardo Santos de Camargo e tentado matar o terceiro homem Cleodir Santos Santana. 

    Os crimes ocorreram na madrugada de 28 de outubro de 2016, numa estrada do Bairro Fazendinha enquanto as vítimas se dirigiam ao trabalho (cultivo de uva).

   A testemunha sobrevivente Cleodir Santana afirmou que ele reconheceu os dois homens que efetuaram os disparos matando Felinto e Eduardo e ele apesar de ser atingido por dois tiros não morreu porque fingiu que estava morto. Edi Carlos Pedroso (pai) negou autoria dos crimes. Claudio Pedroso (filho) também negou responsabilidade pelos disparos.

    A promotora de justiça Ana Dutra Cristofani defendeu condenação de pai e filho alegando ser crível o testemunho do sobrevivente Cleodir Santana. Acusação de homicídio qualificado com emboscada: artigo 121 parágrafo 2º inciso IV do Código Penal e tentativa de homicídio com a mesma qualificadora (artigo 121 combinado com artigo 14 do Código Penal). O advogado dos réus, o Dr. Roberto Costa refutou a acusação e sustentou negativa de autoria. 

    Os jurados decidiram inocentar os réus. A juíza Thais Galvão absolveu pai e filho e expediu alvará de soltura. Familiares das vítimas e dos dois acusados estiveram na platéia; os familiares dos acusados choraram quando ouviram a juíza ler o veredicto de absolvição. Relembre os fatos abaixo.  

Pai e filho são presos em Piedade suspeitos de matarem dois homens e ferir outro na Estrada do Bairro Fazendinha, em Salto de Pirapora
    Quinta-feira pela manhã, 24/11, policiais da Delegacia de Salto de Pirapora cumpriram mandado de prisão temporária prendendo dois homens suspeitos de autoria de dois homicídios e uma tentativa de homicídio.

    Crimes cometidos na madrugada de 28 de outubro de 2016, quando as vítimas seguiam ao trabalho abordo de um trator pela Estrada do Bairro Fazendinha, na área rural de Salto de Pirapora.

    Os dois homens presos são: Claudio Augusto Batista Pedroso e Edi Carlos Pedroso; ambos moradores do Bairro dos Leites, na zona rural de Piedade. Conforme informação da polícia, o motivo do desentendimento que motivou os crimes teria sido uma briga num bar há uma semana.

                   Caso

    Na sexta-feira pela manhã, 28/10, ocorreu um crime grave na Estrada do Bairro Fazendinha, na área rural de Salto de Pirapora, próximo da divisa com Piedade. Três homens abordo de um trator se dirigiam ao trabalho quando sofreram emboscada.

    Dois homens saíram de uma plantação de eucalipto se aproximaram da máquina agrícola e efetuaram disparos com armas de fogo que atingiram Felinto Correa Santana e Eduardo Santos de Camargo; ambos não resistiram às lesões provocadas pelos tiros e faleceram. O terceiro homem, Cleodir Santos Santana também fora atingido, e levado ao pronto-atendimento da Santa Casa de Salto de Pirapora.

    Após ser atendido naquele hospital, Cleodir Santana fora transferido ao Conjunto Hospitalar de Sorocaba. As três vítimas são residentes no mesmo bairro onde o fato aconteceu. Depois de cometerem o crime os criminosos fugiram.

    O segredo da credibilidade é ser fiel ao fato

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

180 investigadores na Polícia Civil-SP; região de Sorocaba recebe 10



    POLÍCIA CIVIL recebeu reforço de 180 novos investigadores que se formaram na quarta-feira, 17/01. O efetivo concluiu o curso de formação na Academia de Polícia Civil (Acadepol) e foi distribuído para todas as regiões do Estado.
    Os policiais civis passaram por três meses de aulas na academia e um de estágio já em unidades policiais. Do total, 68 atuarão em delegacias da Capital, 38 em municípios da Grande São Paulo e 74 em cidades do interior.
    Confira na tabela a seguir a distribuição dos investigadores por região. 
                                Reforço
    Ainda neste semestre, a Polícia Civil formará mais 575 investigadores que estão em curso na Acadepol, além de 203 escrivães e 53 delegados.
    Além disso, o governador Geraldo Alckmin autorizou a abertura de concursos para preencher 2.750 vagas para diversas carreiras da Polícia Civil. Serão contratados 250 delegados, 800 escrivães, 600 investigadores, 200 papiloscopistas, 300 agentes de telecomunicação, 400 agentes policiais e 200 auxiliares de papiloscopistas.
    Desde 2011, além dos 180 investigadores formados nesta quarta, a corporação recebeu 4.807 policiais civis, que foram enviados a todas as regiões de São Paulo.
    Texto reproduzido da Secretaria de Segurança Pública-SP

domingo, 21 de janeiro de 2018

TJ-SP: Banco deve indenizar empresa por roubo de R$ 55 mil em seu estacionamento


     24ª CÂMARA de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo condenou instituição bancária a indenizar empresa em R$ 55 mil, a título de danos materiais, por roubo ocorrido dentro do estacionamento de uma de suas agências.

    De acordo com os autos, uma funcionária da empresa efetuou saque de R$ 55 mil na agência na qual a empresa é correntista e quando chegou ao estacionamento teve o dinheiro subtraído por indivíduo não identificado.

    Ao julgar a apelação, a relatora, desembargadora Jonize Sacchi de Oliveira, afirmou que a instituição financeira responde objetivamente pelos fatos ocorridos no interior do estacionamento de sua agência, uma vez que o local está diretamente ligado à sua atividade lucrativa.

    “Nem se alegue que o evento era inevitável ou imprevisível e, por isso, estariam caracterizadas hipóteses excludentes de responsabilidade objetiva. Com efeito, tentativas de subtração em agências bancárias e respectivos estacionamentos são episódios sobremaneira previsíveis”, escreveu a magistrada. O julgamento teve votação unânime e contou com a participação dos desembargadores Denise Andréa Martins Retamero e Salles Vieira.

        Comunicação Social TJSP – VV (texto) / internet (foto ilustrativa)
        imprensatj@tjsp.jus.br

sábado, 20 de janeiro de 2018

Mulher é presa em Salto de Pirapora por esconder droga em cima do telhado

Ela

    DENÚNCIA informou que uma moça escondia drogas em cima do telhado da residência dela, no Jardim América, periferia de Salto de Pirapora. A denúncia foi feita à Guarda Civil Municipal. Solicitado apoio à Polícia Militar que prontificou-se em apoiar com o cabo Crozatti e o cabo Jonathan.

    Os guardas Mauricio, Mendes e Cruz juntamente com os dois policiais militares se dirigiram ao Jardim América e durante averiguação pela residência da suspeita localizaram em cima do telhado cento e cinquenta e seis gramas de maconha (seis porções da erva proibida).

    Apreendida a droga e a responsável detida e apresentada na Delegacia da cidade. O delegado Irani Barros prendeu Fabiola Nunes Rosa por tráfico de droga artigo 33 da lei 11.343/06 (audiência de custódia). O crime ocorreu sábado à tarde, 20/01.


         Notícia sem detalhe não é verdadeira, é suposição. 

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Indivíduo é preso após aplicar golpe de arte marcial para roubar celular de estudante em Salto de Pirapora

Ele

    A ESTUDANTE (J.F.S.S. de 16 anos) caminhava pela Rua Amador Pereira, no Jardim Santa Julieta, quando um indivíduo surpreendeu a estudante aplicando-lhe um golpe de arte marcial (gravata) para tentar roubar o celular dela.

    Dois homens que transitavam abordo de um veículo desceram do automóvel gritando e saíram em defesa da adolescente; o indivíduo desistiu da ação e correu. Os dois homens perseguiram o indivíduo até o Jardim Silva Barros (bairro vizinho), onde o criminoso tentou se esconder, contudo não teve sucesso porque um morador do Jardim Silva Barros soube do caso e acionou a Polícia Militar.

    Policiais militares realizaram diligência e obtiveram êxito em localizar e deter o indivíduo Ronaldo José Ribeiro, morador do Jardim América, periferia de Salto de Pirapora. A mulher (vítima) e um dos homens que perseguiu o criminoso o reconheceu. 

    Na Delegacia da cidade, Ronaldo Ribeiro confessou que teria tentado subtrair o telefone da vítima. O delegado Irani Barros mandou recolher o indivíduo em prisão por ter cometido roubo artigo 157 do Código Penal na forma tentada. Ao final do flagrante ele foi encaminhado para audiência de custódia em Sorocaba. O caso aconteceu sexta-feira à tarde 19/01.

    Notícia sem detalhe não é verdadeira, é suposição. 

Intervenção da Força Tática de Sorocaba termina com 4 mortos

    INÍCIO da madrugada de sexta-feira, 19/01, policiais da Força Tática de Sorocaba souberam que o veículo Renault/Sandero de cor preto roubado em Cerquilho-SP no dia 15 de janeiro de 2018 da residência do policial rodoviário Claudemir Caetano de Oliveira (latrocínio) estaria trafegando pela Estrada Municipal Iperó/Sorocaba.

    Equipes se posicionaram naquela estrada afim de abordar o veículo Sandero.  Avistaram um automóvel Ômega de cor cinza e logo atrás o automóvel Sandero de cor preto. Ao perceberem que os policiais estavam desembarcados das viaturas e tentavam abordagem, os indivíduos dispararam contra os policiais. Houve revide. Os tiros disparados pela polícia atingiu os quatro indivíduos, que morreram no local. Nenhum policial ferido.

    De acordo com fonte oficial, apenas um indivíduo fora identificado: Jean Carlos Ramos de Almeida de 22 anos, que residiria na Vila Angélica, em Tatuí os outros três seriam desconhecidos porque não portavam documento de identificação. A Polícia apreendeu as armas dos policiais que atuaram na ocorrência e apreendeu as armas utilizadas pelos quatro indivíduos. 

    Notícia sem detalhe não é verdadeira, é suposição. 

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Saiba os casos que atua o Grupo de Elite da Polícia Civil-SP

    DELEGADO Artur José Dian resume a rotina dos policiais de uma das unidades mais importantes da Polícia Civil do Estado de São Paulo, o Grupo Especial de Reação (GER). Os agentes são altamente treinados e especializados, preparados para atuar em negociação de reféns e proteção a autoridades internacionais e até em missões de contraterrorismo.


    Criado em 1989, o GER é subordinado ao Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) desde 2015. "Fazemos parte da Divisão de Operações Especiais do departamento, onde estamos sempre de prontidão para agir em apoio a ações operacionais e de inteligência em conjunto com outras delegacias. Também lidamos com ações momentâneas, como confrontos com quadrilhas de alto risco", explicou Dian, coordenador da unidade.
    Junto com o Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) e o Grupo de Operações Especiais (GOE), o GER é capacitado para atuar em diversos tipos de situação em todo Estado de São Paulo e até fora dele.
    Escolta de personalidades é uma dessas atribuições. Em conjunto com PMs do 2º Batalhão de Policiamento de Choque (BPChq) e policiais federais, membros do GER fizeram a segurança do ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em visita ao Brasil. Obama veio ao país para uma palestra em outubro do ano passado e tirou fotos com os agentes.
Visita do ex-presidente americano Barack Obama (foto: Arquivo Pessoal)
    Ações antiterrorismo, especialmente em grandes eventos, são outras missões da unidade. O GER foi um dos responsáveis pela segurança em competições como a Copa do Mundo (em 2014) e as Olimpíadas (em 2016). Operações como as incursões na região da Nova Luz também contaram com apoio do seleto grupo.
Incursão na Nova Luz em maio de 2017 (foto: Arquivo Pessoal)
    Atualmente, o GER conta com cerca de 30 agentes e investigadores, coordenados por Artur Dian. Para ingressar na elite, é preciso ser policial civil há pelos menos cinco anos, ter alguma qualificação tática e, acima de tudo, ter disposição. "É preciso ser voluntário, pois não é um trabalho fácil. Estamos constantemente estudando e treinando. É preciso estar preparado para tudo", contou o delegado.
Delegado Artur Dian: coordenador do GER com larga experiência em ações táticas
    O candidato ao GER passa por alguns testes físicos e de tiro. Se aprovado, o policial recebe um novo treinamento, com foco em ações táticas, manipulação de explosivos, defesa pessoal, técnicas de tiro com armamento pesado e tiro de precisão, o famoso sniper - inclusive embarcado em aeronaves (veja vídeo abaixo). Cada policial se especializa em alguma dessas áreas, porém todos sabem agir em qualquer situação.

    "Devido ao peso dos equipamentos, os policiais precisam ter condicionamento adequado. Todos possuem aptidão física para os desafios mais intensos", afirmou o coordenador. Para estar preparado a todo momento, os integrantes carregam cerca de 20 quilos de equipamentos. O grupo utiliza coletes balísticos, capacetes táticos, pistolas, submetralhadoras e fuzis - estes, especialmente para ações que envolvam uso de atiradores de precisão.
Elcio Mello Junior durante o treinamento: precisão em tiros a distância.
    O sniper e investigador Elcio Mello Junior é um dos exemplos citados pelo delegado. Mello coleciona troféus em torneios como o SWAT Round Up e SuperSwatCop, competições americanas que envolvem provas de condicionamento físicotiro e técnicas policiais. "É um orgulho levar o nome da Polícia Civil de São Paulo para o exterior. Isso é sinal que o treinamento e o trabalho que a gente vem executando são sérios. Tudo isso nos deixa mais seguros para ir para as operações". Quando não estão em missões ou competições, os policiais estão se preparando. "Treinar sempre para não errar. É a filosofia do GER", finalizou Dian.
    Texto reproduzido da Secretaria de Segurança Pública-SP

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Denúncia derruba casa de trio do tráfico em Tatuí


    DENÚNCIA informou que um individuo estava nas a proximidades da Vila Brasil, em Tatuí , e que frequentemente o mesmo fazia mercancia de entorpecentes, e trazia o dinheiro e entregava a outro individuo, este por sua vez deslocava-e até a Rua Mamede Jose Coelho, no mesmo Bairro,onde estariam os entorpecentes. Deixava o dinheiro da mercância ilícita e trazia os entorpecentes para vender. 

    Diante dos fatos, uma equipe da GCM (ROMU) se deslocou até o local e de posse das características do individuo logrou êxito em localizar os dois indivíduos sendo: Luiz Felipe Pinto de 20 anos e João Batista Rodrigues Filho de 38 anos. Revista pessoal localizou com Luiz Felipe uma porção de crack e a quantia de R$ 34,50 e com João Batista foi localizado a quantia de R$ 100,00 e o mesmo confirmou que na residência haveria mais entorpecentes e que os entorpecentes pertencia ao Luiz Felipe.

     A equipe dirigiu-se ao endereço onde estaria as drogas e encontrou um terceiro individuo deitado em uma cama. João Batista relatou que o terceiro individuo era o responsável por cuidar e distribuir os entorpecentes. Com o terceiro indivíduo Evandro da Silva Florentino de 19 anos havia uma capsula escura com substância análoga a cocaína.

    João Batista indicou um buraco em cima da porta do banheiro onde estaria os entorpecentes sendo localizados vinte e oito porções de crack prontas para venda. Diante dos fatos os três foram conduzidos para a Delegacia. A autoridade policial prendeu os três por tráfico e associação para o tráfico de entorpecente (audiência de custódia). O fato aconteceu terça-feira, 16/01.

    Não dá para viver sem notícia