Restaurantes, Pousadas e Pizzarias

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Desfecho do Crime - Justiça condena criminosos que sequestraram empresário do ramo de transportes em Sorocaba


    3ª VARA CRIMINAL DE SOROCABA condenou quatro homens, acusados pelo Ministério Público de terem sequestrado um empresário do ramo de transportes em Sorocaba. O ministério público ofertou denúncia com base em investigação realizada por policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG de Sorocaba) e Grupo Anti-Sequestro (GAS de Sorocaba). 

    Eis os condenados: Edvan Palmeira da Silva deverá cumprir 19 anos e 05 meses de reclusão, José Valdinês da Silva e Cristiano José da Silva foram apenados com 23 anos e 04 meses de prisão e Francisco de Assis Apolinário punido com 26 anos e 02 meses. Todos devem cumprir as sentenças em regime inicial fechado ( justiça aplicou reprimenda com base no artigo 159, artigo 158 do Código Penal duas vezes, e lei 12.850/13). O dinheiro apreendido em poder dos criminosos será devolvido ao empresário (vítima). 

    Cicero José da Silva é apontado pela Polícia de participar dos crimes, ele era o quinto homem procurado pela Polícia. Durante a ação penal, a justiça desmembrou o processo e expediu contramandado de prisão (será julgado separado). Leia abaixo a respeito dos crimes e como a Polícia prendeu os quatro criminosos que estão condenados e permanecem no chilindró.  

sexta-feira, 3 de março de 2017


Bando de sequestradores de Sorocaba e Iperó é capturado pela Polícia Civil


    Em 14 de dezembro de 2016, criminosos sequestraram um empresário do ramo de transportes, crime cometido por volta das 12h, em frente ao escritório do empresário em Sorocaba. Os marginais levaram a vítima para um cativeiro num matagal na divisa de Iperó com Boituva. O primeiro contato com à família o sequestrador exigiu R$ 200 mil.

    A Delegacia de Investigações Gerais de Sorocaba e o Grupo Anti-Sequestro souberam do sequestro em andamento e orientaram à família, inclusive as tratativas da família com o sequestrador para pagamento de R$ 98 mil ocorreram nas dependências da Delegacia de Investigações Gerais. Depois do pagamento dos R$ 98 mil os criminosos libertaram o empresário.

    Em 13 de janeiro de 2017 (29 dias depois do sequestro), um dos sequestradores fez novo contato com  à família e exigiu mais R$ 26 mil para não sequestrar novamente o empresário. A família pagou o montante de R$ 26 mil. No dia 14 de fevereiro (30 dias após o segundo pagamento), o sequestrador fez nova exigência, desta vez queria R$ 48 mil para não sequestrar o empresário de novo. À família não pagou os R$ 48 mil.

    Atuação da DIG, GAS, a Polícia Civil de Iperó e o Setor de Inteligência da Seccional de Polícia de Sorocaba identificaram que um dos sequestradores comprou lanches numa padaria de Boituva e levou para a vítima no cativeiro, imagens gravadas no interior da padaria mostraram Cristiano José da Silva, apelidado por "Bode", enquanto ele comprou os lanches. 

    A partir da identificação de Cristiano, a polícia identificou mais quatro indivíduos: Jsoé Valdinês da Silva, ex-funcionário do empresário (vítima), Edvan Palmeira da Silva, apelidado por "Mandioca", e Francisco de Assis Apolinário; todos estão presos por mandado de prisão expedido pela Justiça.

A polícia identificou um quinto criminoso que está sendo procurado Cicero José da Silva. Cristiano, Edvan e Cicero moram em Iperó, os demais são de Sorocaba. A ação da polícia foi relatado à imprensa pelo delegado seccional de Sorocaba, Marcelo Carriel, o titular da DIG Acácio Aparecido Leite e o assistente da Especializada, delegado Mário Ayres.

    Quem comete crime está sujeito a pão de angústia e água de amargura 

Nenhum comentário:

Postar um comentário