sexta-feira, 20 de abril de 2018

A "treta" que motivou a morte de Paulo César no Jd Ana Guilherme, em Salto de Pirapora

Biel à Esquerda, Procurado/Alanzinho, Preso

    EM AGOSTO DE 2012, policiais da Força Tática abordaram um carro que trafegava pelo Jardim Vera Cruz, em Sorocaba, no interior do veículo estava Paulo César de Souza e seu irmão adolescente Akson de Souza Pereira. Os policiais encontraram cocaína pronta para venda e cocaína a granel.

    Por causa desses fatos Paulo César foi autuado em flagrante por tráfico de drogas artigo 33 da lei 11.343/06,  por corrupção de menor artigo 244-B do Estatuto da Criança e Adolescente. Paulo César era dono de "bocas de fumo" no Jardim Madalena, em Salto de Pirapora.  Os crimes a ele atribuídos em Sorocaba resultou em cadeia até o final de maio de 2017, quando a Justiça o pôs em liberdade.

    No período que esteve preso Paulo César arrendou as "bocas de fumo" situadas no Jardim Madalena, em Salto de Pirapora, aos jovens Alan Brito de Araújo (adolescente na época), conhecido por "Alanzinho" e Gabriel da Silva Gonçalves, apelidado por "Biel" (adolescente).  Depois que saiu da cadeia Paulo César desistiu de envolver-se com o tráfico de drogas e teria vendido as "bocas de fumo" para um desconhecido. Isto foi suficiente para aborrecer Alan e Gabriel, que pretendiam comprar as bocas.

    Por causa desse fato Alan e Gabriel deliberaram matar o "locador das bocas de fumo" Paulo César. Crime cometido em 16/03/2018. Paulo César sofreu sete tiros em frente a sua residência no Jardim Ana Guilherme, em Salto de Pirapora. O irmão de Paulo César que esteva ao lado dele, Lucas de Souza sofreu dois tiros, mas escapou da morte.

    Na manhã de 16 de abril (30 dias após os crimes) as forças policiais de Salto de Pirapora cumpriram mandado de prisão prendendo Alanzinho, durante a ação na casa dele os policiais encontraram drogas, por esse motivo além do homicídio, Alanzinho vai responder por tráfico de drogas artigo 33 da lei 11.343/06. Biel é procurado pela Polícia porque não estava na residência dele no Jardim Madalena. 

               Desde adolescência Alanzinho e Biel são envolvidos em ilícitos

    Aos 14 anos, Alanzinho cometeu o primeiro ilícito, em 2012, uma equipe da Polícia Militar abordou Alan no Bairro Campo Largo e encontrou porções de crack e R$ 102,00. Por causa desse ato infracional de tráfico ele foi encaminhado para a Fundação Casa (extinta Febem).

    Em 2015, aos 18 anos de idade, Alanzinho fora detido novamente pela Polícia Militar no Bairro Campo Largo, dessa vez Alanzinho e dois adolescentes estavam com porções de cocaína. Esse caso resultou-lhe em 2 anos de reclusão. Em 2017, a Justiça libertou Alanzinho. Três meses depois de ganhar liberdade a Polícia Militar abordou um adolescente  envolvido com o tráfico de drogras e visualizou no celular do menor  mensagens referente ao tráfico de drogas, enviadas por Alanzinho. 

    A Polícia foi na casa de Alanzinho e lá apreendeu R$ 3 mil supostamente "féria" da mercância ilícita. Novamente Alanzinho esteve preso, dessa vez por associação ao tráfico artigo 35 da lei 11.343/06 e por corrupção de menor artigo 244-B do ECA. Essa "cana" foi por curto período.         

    Aos 14 anos, Biel respondeu o primeiro ato infracional por tráfico de drogas artigo 33 da lei 11.343/06 ao ser detido pela Polícia Militar que localizou sob a responsabilidade dele pedras de crack, pinos contendo cocaína e porção de maconha. Ao término da ocorrência na Delegacia ele foi liberado para sua genitora. O caso aconteceu em 2011.

    Início de 2013, aos 15 anos, Biel reincidiu no tráfico de drogas, ele tinha 22 porções de cocaína. A Justiça o encaminhou para a Fundação Casa; logo saiu da Fundação Casa. Após sair da Fundação Casa, no final de 2013, a Polícia investigou e soube que ao desentender por tráfico de drogas, Biel teria assassinado Elison Garcia, mais conhecido por "Cuevo". A Justiça recolheu novamente Biel na Fundação Casa. Biel não demorou na Fundação Casa. (liberado).

    Em 2014, Biel ganhou liberdade. Aos 16 anos, Biel voltou a aprontar: a Polícia Militar realizou abordagem e encontrou com Biel uma pistola 9 mm. Detido por ato infracional de porte ilegal de arma artigo 16 da lei 10.826/03 Estatuto do Desarmamento, Beil retornou à Fundação Casa, onde esteve por mais 2 anos. Quando Biel ajustou-se com Alanzinho, em 16 de março de 2018, para matar Paulo César, Biel havia saído recentemente da Fundação Casa.

    A Polícia de Salto de Pirapora procura prender Biel para responder pela morte de Paulo César e por tráfico de drogas, porque quando a Polícia foi na casa dele para prendê-lo encontrou cocaína, maconha e crack.

    Notícia sem detalhe não é verdadeira, é suposição!   

      

   

   

     

Nenhum comentário:

Postar um comentário