Restaurantes, Pousadas e Pizzarias

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Em evento da ABRASCE secretário de Segurança-SP ressalta índice de mortes intencionais


    SECRETÁRIO DA SEGURANÇA PÚBLICA, Mágino Alves Barbosa Filho, participou, na tarde de terça-feira, 24/04, do Seminário de Segurança 2018, organizado pela Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce). O evento aconteceu no Centro Empresarial de São Paulo (Cenesp), na zona sul da Capital.

    Durante o primeiro dia da conferência, que teve como tema “A inteligência a serviço da segurança”, o chefe da SSP ressaltou expressivas quedas nos indicadores de criminalidade, resultados do investimento em tecnologia e inteligência aliado ao empenho do trabalho desenvolvido pelos policiais paulistas.
    Com destaque para as reduções de homicídios, o secretário detalhou a taxa de casos de homicídios, que chegaram ao patamar de 7,54 ocorrências por 100 mil habitantes no Estado de São Paulo, no ano de 2017. Já nos últimos 12 meses, esse número é ainda menor 7,31/100 mil habitantes.
    Ao longo do discurso, o chefe da Segurança Pública Estadual reforçou os argumentos exemplificando os dados de outras federações. “Para se ter uma ideia a taxa de homicídio das cidades de Miami é 11, ou seja, quase o dobro da nossa. A de Chicago é de 24 homicídios”, completou.
    “Parabéns pelos números expressivos, que são exemplos, para demais Estados, de como é possível mudar o cenário da Segurança Pública com determinação e investimentos”, elogiou Cátilo Cândido, diretor de Assuntos Institucionais da Abrasce, ao longo do painel que discutiu as complexidades do série.
    Em sua palestra, Mágino também reforçou a importância de iniciativas como a da Abrasce e saudou os organizadores do relevante evento para o setor de segurança. “A Segurança Pública é dever de todos. Com parcerias e cooperações podemos alcançar melhores resultados”, concluiu.
                                  Investimentos
    Durante o discurso, Mágino destacou que o segredo da segurança pública é investimento - em tecnologia, aquisição de equipamentos, viaturas e efetivo policial. “Desde 2011, foram contratados mais de 32 mil policiais militares, civis e técnico-científicos. Quase a metade da segunda maior força policial do país”, detalhou.
    O secretário também destacou o investimento na aquisição de novos veículos. “Desde 2011, foram adquiridas 15.800 viaturas, sob investimento de quase R$ 1 bilhão. Adquirimos alguns especiais, como os blindados israelenses, que possuem um nível de blindagem que resiste a tiros .50, por exemplo”, detalhou.
    Uma importante ferramenta que os policiais de São Paulo contam no combate à criminalidade é o Detecta. “Desde que foi implantado, em 2014, até o mês de abril de 2018, o sistema permitiu a prisão de 9.424 pessoas, interceptação de 5.689 veículos e apreensão de 517 armas de fogo ilegais”, exemplificou Mágino.
    O Detecta é uma ferramenta de Big Data que emite alertas de situações de crimes e integra bancos de dados policiais e de outros órgãos, como Registro Digital de Ocorrência (RDO), Instituto de Identificação (IIRGD), Sistema Operacional da PM (SIOPM - 190), Infocrim, Sistema de Fotos Criminais (Fotocrim), além de dados de veículos e de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do Detran.
                                      Simulado de segurança
    De acordo com Cátilo, o seminário propõe o debate de diversos temas como a segurança em Shopping Center, combate ao crime organizado, integração do poder público e privado, entre outros. “Para o segundo dia, está prevista a realização de um simulado de segurança no Shopping Eldorado, graças também à cooperação da SSP”, contou.
    O objetivo da prática é evidenciar a necessidade da gestão e controle dos empreendimentos em situações de crise e abordar a importância do treinamento contínuo dos profissionais da área para enfrentar as mais diversas ocorrências que implicam na segurança do setor.
    Além disso, a atividade, idealizada pela Abrasce, com duração prevista em 1h30, reunirá representantes de entidades públicas e privadas, como a Polícia Civil, o Corpo de Bombeiros e hospitais da região, e permite que os participantes vivenciem na prática situações de extrema periculosidade.
    Texto reproduzido da Secretaria de Segurança Pública-SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário