Restaurantes, Pousadas e Pizzarias

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Polícia Civil apresenta indivíduo que teria assassinado quatro mulheres com requinte de crueldade em Votorantim; ele matava porque sua índole é mau

Mexicano Sendo Conduzido Pela Polícia

    EXCELENTE TRABALHO DE INVESTIGAÇÃO do delegado titular de Votorantim, Marcelo José Quevedo Munhoz e seu assistente José Antonio Proença M de Melo  esclareceu autoria de quatro homicídios. Todas as vitimas são mulheres.

    Jéssica Roberta Pereira morta em 2014, Rosângela da Cruz Silva assassinada em 2015, Lúcia M. Ukai Fukami e Maria Aparecida de Faria França assassinadas em dezembro de 2017. Todas as vitimas moravam em Votorantim, três delas sofreram homicídio em terrenos baldios, outra sofreu homicídio numa Quadra Poliesportiva. As mortes foram causadas desferindo pancadas na cabeça e no rosto; duas delas além de mortas o criminoso ateou fogo.

               O criminoso

    Vários suspeitos eram investigados. Fortes indícios sinalizaram que o indivíduo Everton Soares de 27 anos, apelidado por "Mexicano", que reside na Vila Garcia, em Votorantim, poderia ser o responsável pela morte de uma das mulheres em dezembro de 2017. 

    Os delegados aprofundaram a investigação e identificaram testemunhas que relataram que Mexicano seria o responsável pela morte de uma das mulheres assassinada em dezembro de 2017. Ele é usuário de droga, atraiu a vítima chamando-a para usar droga com ele, a vítima também era usuária de droga. As identidades das testemunhas estão protegidas pelo provimento 32 da Corregedoria Geral de Justiça. 

    Em fevereiro deste ano, a Justiça atendeu pedido da polícia e mandou prender Everton Soares e o pai dele o senhor Edson Soares. A polícia citou evidências de que Edson Soares pode ter participado da morte da mulher em 2017, porque segundo relato de testemunha, a mulher assassinada em dezembro de 2017 fora vista com o Mexicano e o pai dele Edson Soares.


    Antes da Polícia encontrar indícios e provas contundentes contra o Mexicano, moradores da Vila Garcia comentavam a respeito das mortes, a mãe do Mexicano suspeitava e comentava "será que foi meu filho que matou essas mulheres"? Ela disse isso porque Mexicano chegava em casa agressivo; houve momento que sua mãe solicitou alguém dormir com ela na casa temendo violência por parte do filho. 

    Com Mexicano detrás das grades, a polícia conseguiu elementos fortes apontando que Mexicano teria assassinado a segunda mulher em dezembro de 2017 e também matou as outras duas: uma em 2015 e a outra em 2014.

   Na sequência da investigação a polícia soube que todas as vitimas usavam droga, e que o convite para consumir droga foi a maneira que Mexicano apresentou para atrair todas elas. A polícia encontrou os corpos das quatro vitimas há dois quilômetros distante da casa de Mexicano. 

    Ao ser preso e interrogado pela polícia, Mexicano afirmou que é inocente, teria inclusive em tom de deboche falado: "faça exame e conclua que não sou responsável pelas mortes". Ele disse isso porque não estuprou nenhuma das vitimas, sua conduta fora agressão com requinte de crueldade culminando em morte delas. 

    Em 18 de maio de 2018, a Justiça atendeu pedido da polícia e converteu a prisão temporária em prisão preventiva por causa da morte de uma das mulheres assassinada em dezembro de 2017; ele ainda vai responder pelas mortes das outras três mulheres. A polícia continua investigando a participação de Edson Soares. O Mexicano está preso em Itirapina, interior de São Paulo, ele foi trazido para o Centro de Detenção Provisória de Sorocaba, e na segunda-feira pela manhã, 13/08, foi apresentado à imprensa na Seccional de Polícia em Sorocaba.

    Aqui a notícia chega chegando!  

Nenhum comentário:

Postar um comentário