quarta-feira, 24 de outubro de 2018

A vida do traficante Carlinhos do Teixeira antes de ser preso e condenado


    O TRAFICANTE Carlos Eduardo Camargo, conhecido por "Carlinhos do Teixeira" em sua idade juvenil era evangélico, como seus pais também são evangélicos; não se sabe  por que Carlinhos do Teixeira abdicou a conduta evangélica e enveredou para o submundo das drogas atuando como traficante expressivo no Bairro Teixeira onde ele morava. 

    Carlinhos do Teixeira construiu bom relacionamento com os moradores daquele bairro, ele costumava dizer aos moradores que se houvesse alguma atitude merecedora de repreensão o morador poderia lhe comunicar que ele adotava medida contra o autor ou autora do fato. Vendia drogas para quem era do bairro, mas exigia que o consumo da droga não fosse em via pública. 

    Todos os anos antes das datas comemorativas Dia das Crianças, Natal e Reveillon, Carlinhos do Teixeira comprava ou furtava um boi e pedia para voluntários do bairro ajudar abater o animal e servia churrasco com refrigerantes aos moradores do bairro. 

    Ao saber que existia família em estado de necessidade de alimento, Carlinhos do Teixeira comprava alimentos e pedia para entregar na casa da família necessitada, essas e outras ações do traficante cativava os moradores. O traficante não demonstrava que tinha dinheiro: não andava em carrão e sua casa não era mansão. 

    O pai de Carlinhos do Teixeira diversas vezes aconselhou o filho para sair da vida errante, porém, Carlinhos do Teixeira não seguia o conselho do pai. O traficante era amasiado e tinha um filho, Carlinhos do Teixeira comentava que ele não gostaria que seu filho seguisse o caminho das drogas. 

    Ganhando dinheiro com traficância ilícita, Carlinhos do Teixeira alugou um imóvel no Centro de Salto de Pirapora e adiantou pagamento de 5 anos da locação; no local abriu uma pizzaria. Com dinheiro do tráfico ele também teria adquirido terrenos em outros bairros. 

               Casa dele caiu

    No final de 2014, os policiais civis Belloti e Thiago combinaram ação conjunta com os policiais militares cabo Leite e cabo Ferri e planejaram ação visando prender Carlinhos do Teixeira. Os dois policiais civis e os dois militares entraram numa viatura descaracterizada e seguiram ao Bairro Teixeira.

     Os policiais sabiam quem era Carlinhos do Teixeira e que Carlinhos costumava levar almoço para os vendedores de entorpecentes num ponto de drogas no final da Rua Argemiro dos Santos na entrada de um matagal. Os quatro policiais permaneceram dentro do carro à distância observando gente chegando em carros e motos para comprar entorpecente pois o ponto de tráfico funcionava 24 horas. 

    Um motoboy chegou para entregar marmitas, Carlinhos do Teixeira chegou a pé pegou as marmitas e seguiu em direção ao ponto de tráfico onde estavam seus vendedores de drogas, naquele momento os dois policiais civis desceram do carro se aproximaram e falaram com Carlinhos que não os conheceu porque os dois policiais estavam atuando recentemente na Polícia Civil de Salto de Pirapora. 

    Quando o traficante entrou no local onde estavam seus vendedores de drogas os policiais civis chamaram os dois militares que estavam na viatura descaracterizada e prenderam Carlinhos do Teixeira. Os vendedores de drogas correram. No local existia cocaína, crack e pasta-base de cocaína.

    Ao saber que estava em cana, Carlinhos do Teixeira tentou corromper os policiais oferecendo R$ 10 mil. Os policiais fingiram aceitar, o traficante realizou contato por telefone pedindo para alguém de sua família ou seu advogado ir levar o dinheiro, mas ninguém chegou por lá com dinheiro. 

    Se alguém chegasse com o dinheiro Carlinhos do Teixeira responderia também por corrupção ativa. Preso por tráfico de drogas, Carlinhos do Teixeira desembolsou muito dinheiro pagando honorários de advogados tentando sua liberdade e pretendendo evitar ser punido, contudo a Justiça impôs-lhe condenação por 10 anos de reclusão. Ele cumpre a pena no Presídio em Capela do Alto.

    Não dá para viver sem notícia!

 

   

Nenhum comentário:

Postar um comentário