sexta-feira, 26 de abril de 2019

Região de Sorocaba - Menos mortes violentas, latrocínios e roubos em geral

    REGIÃO DE SOROCABA fechou o primeiro trimestre deste ano com reduções nos casos e vítimas de homicídio e latrocínio, além de diminuição nas ocorrências de roubos e furtos em geral e de veículo.
    A quantidade de casos de homicídios dolosos caiu 2,3%, passando de 44 para 43 na comparação do primeiro trimestre de 2018. O total é o segundo menor número da série histórica.
    O indicador de vítimas de mortes intencionais recuou em 6,4%. Foram contabilizadas 44 vítimas no trimestre deste ano, ante 47 no período acumulado do ano passado. O total também é o segundo menor número da série histórica.
    Com as reduções, as taxas dos últimos 12 meses (de abril de 18 a março de 2019) caíram para 5,47 casos e 5,70 vítimas de homicídios a cada grupo de 100 mil habitantes.
    Os casos e vítima de latrocínio tiveram redução de 71,4% no primeiro trimestre. O número caiu de sete, de janeiro a março de 2018, para dois em igual período deste ano, ou seja, cinco a menos. Os estupros registraram alta de 2,7% nos três primeiros meses, com nove casos a mais (de 330 para 339).
                           Roubos e furtos
    Os roubos em geral diminuíram 25,5%. Foram 1.464 nos primeiros três meses do ano passado e 1.091 em igual período deste ano – 373 casos a menos. É o menor número da série histórica.
    Os casos de roubos de veículos apresentaram redução de 18% nos três meses. Passaram de 267 para 219 – 48 a menos. É o menor desde 2011. Os roubos a banco ficaram zerados no trimestre. Em igual período do ano anterior, houve uma ocorrência.
    Houve um recuo de 40% nos roubos de carga no período, com 12 casos a menos. De janeiro a março de 2018, foram contabilizados 30, contra 18 nos três primeiros meses deste ano. É o menor número desde 2013.
    Os furtos em geral tiveram queda de 10,2% (de 6.838 para 6.141) no período – menos 697 casos. É o menor número da série histórica. Os furtos de veículos caíram 0,2%, passando de 923 para 921, ou seja, dois a menos no primeiro trimestre deste ano. As extorsões mediante sequestro permaneceram zeradas nos três meses deste ano.
    Reproduzido da Secretaria de Segurança Pública-SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário