domingo, 8 de setembro de 2019

São Paulo - Nova fase da campanha para combater violência contra mulher


    O GOVERNO DE SÃO PAULO lançou sexta-feira, 06/09, a segunda fase da campanha publicitária de combate à violência contra a mulher. Em mensagem direta para os agressores, o novo vídeo mostra mulheres pedindo apoio da sociedade civil para que esses crimes sejam denunciados e também elenca a ampliação de ações do Poder Público para combate ao feminicídio e à violência doméstica.

    O governador João Doria fez o lançamento da nova etapa durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes. “O filme alerta, previne e sensibiliza a sociedade. A mulher não deve se deixar ameaçar ou ser agredida, sobretudo dentro de casa”, afirmou. “O filme foi criado para mostrar quer a mulher não deve se submeter a ameaças e que ela deve denunciar”, acrescentou Doria.
    A personagem do vídeo diz: “Você se acha muito macho, né? Por ameaçar, humilhar, por bater em mulher”. E responde: “Mas é covarde. Nós estamos de olho. Nós vamos te denunciar e você vai ser preso”. O objetivo é mobilizar toda a sociedade na prevenção e punição desses crimes, inclusive com denúncias de agressores à polícia e à Justiça.
    O vídeo de 30 segundos será veiculado durante 15 dias em TVs e portais. Haverá versões para rádios, revistas e o Metrô paulista. A campanha publicitária foi desenvolvida pela agência TBWA\Lew Lara, com coordenação da Secretaria de Comunicação do Estado de São Paulo.
O site da campanha também traz mais informações sobre iniciativa e os endereços das Delegacias de Defesa da Mulher 24 horas no Estado: saopaulo.sp.gov.br/feminicidionao. A primeira fase da campanha foi lançada em junho, acompanhada também com um vídeo sobre feminicídio.
“A [nova] campanha vem para mostrar para vítima: ‘vá e faça a denúncia’ porque com certeza o feminicídio é uma morte evitável. A partir do momento que há um boletim de ocorrência, que a polícia está de olho, está investigando, com certeza essa mulher não será morta”, afirmou a delegada Jamila Jorge Ferrari.
                             Mais delegacias e aplicativo
    Desde janeiro, a Secretaria da Segurança Pública ampliou de uma para 10 as delegacias de Defesa da Mulher 24 horas em todo o Estado. Outras 30 unidades também terão atendimento ininterrupto até 2022. Das 133 DDMs de todo o Estado, 16 ficam na Grande São Paulo e 108 estão no interior e litoral. Todas seguem o Protocolo Único de Atendimento, de forma a padronizar e humanizar o tratamento a mulheres vítimas de violência.
    Além disso, o Governo de São Paulo implementou o SOS Mulher, aplicativo que prioriza o atendimento às mulheres com medidas protetivas, deslocando as equipes policiais mais próximas do local da ocorrência. “Já temos 11,4 mil downloads e 321 mulheres em São Paulo já estão sob o sistema protetivo. Em 15 minutos, no limite, uma autoridade policial estará ao lado dessa mulher que estiver sendo ameaçada”, declarou o Governador.
                              Fundo Social
    No mês passado, o Fundo Social de São Paulo (FUSSP) lançou o site com informações sobre saúde e independência financeira para mulheres em situação de vulnerabilidade social. Ele traz orientações para que as mulheres saibam reconhecer, evitar e combater as principais formas de violência listadas na Lei Maria da Penha: física, psicológica, sexual, moral e patrimonial. A plataforma apresenta também todos serviços gratuitos para as mulheres disponíveis pelo Governo do Estado.
    Reproduzido da Secretaria de Segurança Pública-SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário