sexta-feira, 21 de agosto de 2020

Salto de Pirapora - Engenheiro José Carlos Benedetti secretário de Planejamento da Prefeitura afirma que versão da estagiária não é verdadeira

    

    Direito de Resposta - Em 12 de agosto de 2020, Sorocaba Notícia publicou matéria referente ao suposto crime atribuído ao Engenheiro José Carlos Benedetti Rosa, atualmente desempenhando suas funções como Secretário de Planejamento na Prefeitura Municipal de Salto de Pirapora. Naquela ocasião o site noticiou que Benedetti “tem um abacaxi para descascar na Delegacia de Polícia.” Isto porque, a estudante de engenharia e estagiária A. J. D. P., registrou Boletim de Ocorrência perante a Autoridade Policial local, afirmando que teria, por duas vezes, sido importunada pelo Secretário ao impedi-la de sair do local onde se encontrava, tocando suas pernas, momento que demonstrou indignação pela suposta conduta, razão pela qual registrou a ocorrência.

    O delegado capitulou como sendo prática de crime descrito no artigo 215, do Código Penal Brasileiro. Ocorre que, em verdade, ao que tudo indica, a capitulação açodada do crime, considerado grave, vem ocasionando sérios constrangimentos ao investigado e a sua família. José Carlos Benedetti Rosa, é natural de Salto de Pirapora, cujos antecessores são desta terra, é casado, tem três filhos, foi criado pelos seus pais na companhia de três irmãs, é respeitável chefe de família, de ilibada reputação, serviu em diversas iniciativas privadas como Engenheiro Civil, bem como cedeu seu conhecimento técnico como (agente) servidor público em outras tantas municipalidades, tais como Sorocaba, Votorantim, Piedade, Itu, Laranjal Paulista, Capão Bonito, Botucatu e Salto de Pirapora, nada tendo que desabone sua moral e os bons costumes. 

    Benedetti também afirma que, os fatos narrados no Boletim de Ocorrência em questão, não correspondem com a verdade, posto que, não existiu a descrição capitulada como crime, o que será oportunamente esclarecido, pois acredita na Justiça, na oportunidade do contraditório, na ampla defesa, enfim, no devido processo legal, salvaguardado pelo ordenamento jurídico pátrio, mas acima de tudo, no princípio da verdade real, o qual norteia o Processo Penal. Portanto, não há que se falar em credibilidade tampouco em fidelidade ao fato, conforme preconizado por este veiculo de comunicação, mormente porque a iniciativa em esclarecer publicamente a leviana afirmação descrita como crime foi de Benedetti e de sua família que serenamente aguardam o escorreito esclarecimento dos fatos.

    Para o veículo de comunicação denominado Sorocaba Noticia – SN – Jornalista responsável Toni Silva – MTB 51.491 – SP.


Nenhum comentário:

Postar um comentário