sexta-feira, 30 de abril de 2021

Ibiúna - Homem é ferido pela esposa durante briga no interior do lar, o SAMU o socorreu, mas ele faleceu no hospital

 


    GUARDAS CIVIS MUNICIPAIS FORAM atender ocorrência de suposta lesão corporal no início da madrugada de sexta-feira, 30/04, numa residência situada na Rua Dois, Vila Laval, em Ibiúna. 

    No local dos fatos, a guarnição encontrou Denilsa Rodrigues de 31 anos, afirmando que em suposta legítima defesa, ela desferiu dois golpes de faca em seu marido Anderson de Oliveira Silva, 33 anos, e solicitou atendimento pelo Serviço Móvel de Urgência, que levou seu marido ao hospital municipal de Ibiúna. 

    A guarnição  entrou na casa e apreendeu a faca utilizada no crime, que estava sobre o tanquinho de larvar roupas, e deteve Denilsa. Os guardas foram ao hospital e souberam que Anderson havia falecido em decorrência dos golpes. 

    Na Delegacia da cidade, Denilsa relatou ao delegado Dailton Luiz Braga de Morais, que ela (Denilsa) estava em sua residência com seus três filhos, seu esposo Anderson chegou visivelmente desequilibrado emocionalmente e sem motivo aparente, ele lhe ofendeu, em seguida tentou esganá-la. 

    Uma filha de 12 anos do casal interveio em defesa da mãe e conseguiu evitar que seu pai continuasse agredindo-a. Depois da intervenção da filha, Anderson empunhou uma faca de cozinha e feriu o braço de Denilsa. 

    Denilsa acrescentou que retirou a faca da mão dele e desferiu dois golpes: um no tórax e outro nas costas. Ela disse ainda que durante 12 anos que moravam juntos Anderson costumava agredi-la. Ao ouvir a versão de Denilsa, o delegado entendeu que a versão dela é de suposta legítima defesa, todavia, naquele momento (flagrante) não havia indício que pudesse corroborar com a versão de legítima defesa. 

    Nesse entendimento, o delegado prendeu Denilsa em flagrante fundamentado no artigo 121 Código .Penal (homicídio simples). Após o termino do flagrante Denilsa foi encaminhada para audiência de custódia. O casal tem 5 filhos, três estavam no interior da residência quando a briga aconteceu. A menina de 12 anos e outros dois de menos idade. A menina de 12 anos não foi levada para ser ouvida na Delegacia como testemunha porque ela apresentava abalo emocional.

    Segredo da credibilidade é ser fiel ao fato! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário