segunda-feira, 25 de outubro de 2021

Estado-SP - Estudo aponta que Sâo Paulo tem menor taxa de morte entre crianças e adolescentes

     O ESTADO DE SÃO PAULO possui as menores taxas de mortalidade entre crianças e adolescentes, segundo o relatório Panorama da violência letal e sexual contra crianças e adolescentes publicado pela Unicef, em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança, sexta-feira, 22/10. O estudo avaliou boletins de ocorrência dos últimos cinco anos com o objetivo de obter microdados a respeito desse indicador criminal.

    De acordo com o relatório final, São Paulo registrou os menores índices em 2016, 2017, 2019 e 2020. Os índices foram 6,89, 9,49, 4,49 e 4,90, respectivamente. Em 2018, a taxa paulista foi a segunda menor do país (8,01).

    Os números apresentados pelo Panorama confirmam tendência verificada pelos dados divulgados mensalmente pela SSP entre 2015 e 2020. Os indicadores de segurança da SSP apontaram queda de 32% no número de homicídios de crianças e adolescentes no período. 

    Em números absolutos, a redução representa 238 vidas poupadas por ano. De acordo com os indicadores estatísticos da SSP, 611 pessoas de 0 a 19 anos foram vítimas de homicídio em 2015. Em 2020, o número baixou para 373. Considerando os anos de 2016 e 2020, a redução foi de 39%. 

    As taxas de mortalidade para cada grupo de 100 mil habitantes também mantiveram quedas consistentes nos últimos anos. Entre crianças até 14 anos, o índice era de 0,06 em 2016, subiu para 0,09 em 2017 e 2018 e voltou a cair nos dois anos seguintes: 0,05 em 2019 e 0,02 em 2020. Entre os jovens de 15 a 19 anos, a taxa foi de 7,26 em 2016, chegou a 8,33 no ano seguinte, e acumulou baixas em 2018 (6,68), 2019 (4,54) e 2020 (4,28).

    De acordo com os dados da SSP, o meio mais empregado nos homicídios contra crianças e adolescentes foi arma de fogo. O armamento foi responsável por 67,1% dos casos registrados no período. Armas brancas foram utilizadas em 12,7%; enquanto que em 18,7% das ocorrências foram aplicados outros meios.

    No comparativo anual, as ocorrências de homicídio contra o público até 19 anos tiveram acréscimo de 5% de 2015 para 2016 e repetidas quedas desde então. De 2016 para 2017 a redução foi de 6%; entre 2017 e 2018 a quantidade foi 11% menor; de 2018 para 2019 foram notificados 19% de boletins a menos; e entre 2019 para 2020 o índice encolheu outros 7%.

    “Os números mostram resultados efetivos conquistados pelo Estado de São Paulo no combate à violência contra jovens. Estamos trabalhando muito na modernização das estruturas policiais e em programas com outras secretarias, como a Educação, para reverter esse quadro. Felizmente estamos colhendo bons resultados e poupando vidas. Mas vamos continuar perseguindo metas ainda melhores para garantir a segurança de todos”, analisa o General João Camilo Pires de Campos, secretário de Segurança Pública de São Paulo.

                                            MDIP

    As ocorrências de morte por intervenção policial envolvendo crianças e adolescentes caíram quase pela metade entre 2015 e 2020. No primeiro ano analisado foram registrados 253 casos de MDIP (Mortes Decorrentes de Intervenção Policial), contra 130 no último. A redução foi de 49%. O pior índice foi registrado em 2017, com 273 casos. Considerando somente o período entre 2017 e 2020, o declínio é de 51%.
  
    No comparativo ano a ano, o índice apresentou leve queda de 2015 a 2016 (-4%); cresceu entre 2016 e 2017 (12%); voltou a cair significativamente entre 2017 e 2018 (-22%); atingiu o maior declínio do período entre 2018 e 2019 (-35%); e contabilizou novo decréscimo entre 2019 e 2020 (-7%). 

    “A redução das MDIPs é tratada com extrema seriedade pelas forças de segurança paulistas. Nos últimos anos investimos grande volume de recursos em equipamentos e tecnologia, revisamos procedimentos e agregamos novos formatos de policiamento visando aumentar a segurança de policiais e população. Também estamos permanentemente em contato com outras instituições públicas e organizações da sociedade civil para debater o tema e encontrar os melhores caminhos possíveis. Nosso compromisso é com a segurança e nossa missão é salvar vidas”, reforça o secretário.   

    Reproduzido da Secretaria de Segurança Pública-SP               

Nenhum comentário:

Postar um comentário