domingo, 21 de novembro de 2021

Estado-SP - Menor taxa de crimes violentos do país

     RECENTES dados do Monitor da Violência, parceria do portal de notícias G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV-USP) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, confirmam que São Paulo é o estado mais seguro, com a menor taxa de crimes violentos para se viver no país. 

    Divulgado na quinta-feira, 18/11, o levantamento confirmou as tendências apontadas mês a mês pelas estatísticas criminais disponibilizadas pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo com as menores taxas de mortes violentas entre todas as unidades da federação.

    A pesquisa, que contabiliza o número de vítimas de homicídios dolosos (incluindo os feminicídios), latrocínios e lesões corporais seguidas de morte, mostra que as taxas de mortes violentas de São Paulo permanecem, sempre abaixo de 1 a cada grupo de 100 mil habitantes, na análise mês a mês, de janeiro a setembro deste ano. Apenas o Distrito Federal apresentou uma taxa menor que SP no mês de março – os índices foram de 0,4 e 0,6 respectivamente. Além disso, Santa Catarina ficou com a taxa igual a de SP no nono mês do ano – 0,60.

    Seguindo a tendência, em todos os demais meses de 2021, as taxas de mortes violentas entre os paulistas foram as menores do Brasil. Aliás, o índice de São Paulo é quase três vezes menor que o do país, na comparação do mês de setembro. A taxa no Brasil ficou em 1,59 mortes para cada grupo de 100 mil habitantes.

                              Reduções em números

    São Paulo teve queda de 3,38% nos crimes violentos nos primeiros nove meses de 2021 em relação a igual período do ano passado. O número passou de 2.457 para 2.374 – 83 a menos. Se considerar apenas o número de vítimas de homicídios, São Paulo teve queda de 1,76% nos primeiros nove meses de 2021 em relação a igual período do ano passado.

    No Brasil, de janeiro a setembro deste ano, foram registradas 30.954 mortes violentas, contra 32.471 nos mesmos meses de 2020. Ou seja, 1.517 a menos.

    Reproduzido da Secretaria de Segurança Pública-SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário