quinta-feira, 31 de março de 2022

Desfecho do Crime - Morador em Tapiraí é condenado no júri em Piedade

 


    EM 2018, a Polícia Militar de Tapiraí registrou homicício tentado numa residência situada no Bairro Qaresmal. No imóvel residia João Pupo de França, que reunia seus conhecidos para tomarem aguardante. Em um momento, Sebastião Benedito Pereira (mais de 60 anos) desentendeu e proferiu palavras contra Dail Neves da Fonseca e em seguida Sebastião pegou um litro de aguardente e investiu contra Dail.

    Dail empunhva uma faca para cortar limão e temperar a carne. Ele utilizou a faca para ferir o tórax de Sebastião. O agressor fugiu e a vítima foi levada ao hospital. Sebastião quase faleceu. Dail nunca esteve preso por esse fato. 

          Júri

    Quinta-feira, 31/03, formou-se o conselho de sentença para julgar o caso no Fórum de Piedade. O representante do Ministério Público defendeu condenação por tentativa de homicídio qualificada com futilidade. O advogado Leandro Purificação argumentou legítima defesa própria, tentativa de homicídio sem qualificadora e tentativa de homicídio privilegiada (caso que a vítima contribui para o crime). Os jurados aprovaram a tese do promotor Gabriel. A juíza Renata Costa impôs condenação por 5 anos e 8 meses em regime inicialmente fechado. O réu permanece em liberdade. 

          Defensor vai recorrer

    O advogado Leandro afirma que vai recorrer no Tribunal, pedindo redução da pena com base no reconhecimento da confição espontânea (réu confessou, mas a juíza não reconheceu como confição completa); outro ponto será abrandamento do regime fechado para semiaberto.

    Quem comete crime está sujeito a pão de angústia e água de amargura 

Nenhum comentário:

Postar um comentário